Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O indiozinho que queria matar uma onça

Pena negra,
Era um pequeno indiozinho,
Cheio de confiança,
De olhos rasgados, pele morena,
Era só uma criança.

Caçava sozinho pela mata,
Arco e flecha nas costas,
Montava armadilhas,
Seguia pistas,
Sonhava em um dia,
Matar uma onça.

Certa vez,
Viu o animal,
Jogou sua lança,
A onça correu ferida adentro do matagal.

Ele a seguiu,
Embrenhou-se na mata,
Flecha na mão,
Pronto pra caçada.

A onça cambaleava,
Sangrava e gemia,
Ele baixou seu arco,
E continuou a segui-la.

Ela mal andava,
Ia parando e bufando,
Até que chegou à beira de uma gruta,
E caiu urrando.

Pena negra se entristeceu,
Ele só queria brincar,
Assim ele entendeu,
O enorme erro que cometeu.
E se pôs a pensar.

De dentro da gruta,
Saíram dois pequenos filhotes,
Que miavam tristes, chorando,
Ao lado da mãe que já não se move.

O pequeno indiozinho,
Correu pela mata,
Chorando, sem arco, flecha, ou lança,
Largou tudo jogado,
E se entregou a sua verdadeira criança.

Chegou à aldeia,
Abraçou sua mãe,
Contou-lhe o ocorrido,
E mostrou-se arrependido.

A mãe procurou o pajé,
Que dançou uma dança sagrada,
E ao menino indiozinho,
Disse que voltasse à mata.

Ele voltou sem armas,
Sem entender o conselho,
E na gruta onde a onça caiu,
O menino caiu de joelhos.

O espírito da floresta ali apareceu,
E disse ao pequeno índio,
Você menino recebeu uma lição,
E deste animal será o protetor,

Preste bem atenção,
E semeie sempre o amor,
A onça não morrerá e,
Você será seu salvador.

A onça estava viva,
Respiração forte,
Aquele animal,
Escapara da morte.

Ela ainda precisava de ajuda,
Pena negra pegou sua lança,
E foi buscar comida,
E planta que cura,
Pra cuidar da onça.

Cuidou também dos filhotes,
E um amor nasceu,
Dizem que o menino índio,
Passou a falar com onça,
E por muito tempo viveu.

Alguns até contam,
Que virou espírito da floresta,
E quando se caça uma onça,
Pena negra se manifesta,
Em forma de criança,
Segurando arco e flecha,
E a sua poderosa lança!

Mais uma singela republicação...

Que Deus lhes abençoe e ilumine sempre!
Sidney Muniz
Enviado por Sidney Muniz em 11/08/2011
Código do texto: T3152724

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sidney Muniz
Juatuba - Minas Gerais - Brasil, 34 anos
749 textos (79882 leituras)
8 áudios (907 audições)
2 e-livros (332 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 11:30)
Sidney Muniz