Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Elmo Doce.

Elmo Doce, era vendedor de muambas do Paraguai,
ia muito bem, sabia fazer negocio.
Comprou casa e carro.
O pessoal gostava muito dele,
inclusive eu, era seu amigo pessoal.
Pois muito bem.
Um belo dia,
depois de vinte e três horas e meia de viaje de volta,
a sua bagagem toda na porta de casa ,
aconteceu o inesperado.
Chegaram dois carros com alguns homens,
dizendo serem policiais
e apreenderam tada sua mercadaria,
não satisfeitos, entraram na casa
e lá fizeram o que bem entenderam.
Quando os carros saíram lotados em alta velocidade,
fui com um grupo de amigos visita-lo
e saber o que realmente tinha acontecido.
Elmo Doce, estava num canto toda ensangüentado
e nós o socorremos.
Passaram-se os dias...
E Elmo Doce,só se queixava que estava falido.
Numa manhã de domingo,
Elmo Doce, radicalizou,
foi vender maconha na boca de fumo,
mas a sua nova trajetória,
durou pouco,muito pouco mesmo.
Naquele mesmo domingo, à tarde,
os mesmos homens voltaram
e o mataram em seu trabalho.
Elmo doce era separado,
tinha dois filhos,
fez o colegial,
nunca tinha trabalhado de carteira assinada,
morava na comunidade há vinte anos
e foi assassinado aos quarenta anos
sem antecedentes criminais.
Condor Azul
Enviado por Condor Azul em 22/04/2006
Código do texto: T143556
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Condor Azul
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 54 anos
722 textos (26305 leituras)
1 áudios (175 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:16)
Condor Azul