Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Retificação

Nunca me deparei com grandes desafios, nem com tristezas tão profundas quanto neste momento. Por isso, julgava antes, que estar sempre com um sorriso no rosto estampando a vontade de viver e a gratidão à Deus pela dádiva de existir era um dever.
Entretanto, o destino (dado à inexistência do acaso, no meu ponto de vista) colocou-me diante de situações que eu nem imaginava vivenciar, e que provocaram sentimentos nunca antes presentes em meu coração.
A revolta, o julgamento de que Deus cometera uma grande injustiça tomaram, por instantes, horas, dias, não sei... o espírito de menina alegre e serena que todos conheciam pela paciência e amizade.
O egoísmo também fez com que eu afastasse alguns amigos, pois não estava disposta a escutá-los, nem a aceitar o ombro que me ofereciam, pois, para mim, eles não compreendiam o meu sofrimento.
Mas, entre a tempestade, a esperança vai abrindo caminhos, vai iluminando novamente os olhos, os lábios, o rosto, enfim, todo o meu ser! Porém, a consciência de que nada, daqui para a frente, será fácil me persegue ora como uma vilã, ora como uma entidade auxiliadora. Ora, apavora-me, ora encoraja-me para ter força e seguir em frente!
Pois, tudo no Universo caminha para o equilíbrio e para a perfeição! Todos os acontecimentos contribuem para essa hormonia e aperfeiçoam nossos espíritos, proporcionando-nos uma outra visão da realidade.
Não acredito mais que tudo são flores... mas, sim que os espinhos pelo caminho podem ser vencidos pelo poder da fé e do amor.

Maria Flor
Enviado por Maria Flor em 20/09/2006
Reeditado em 20/09/2006
Código do texto: T245147
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Flor
São João da Boa Vista - São Paulo - Brasil, 27 anos
30 textos (1143 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:45)
Maria Flor