Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ontem à noite choveu…

Ontem à noite choveu…
Depois de uma noite em que libertei o corpo e a alma em vários copos e conversa que espalhei um pouco por todo o lado no universo nocturno da minha cidade, e em que arrisquei a coisa louca e absurda de levar poemas para uma discoteca e de os dar a quem me parecesse interessante, a quem tivesse uma centelha de qualquer coisa no olhar que me levasse a pensar interiormente “É esta pessoa…” e por isso dei a minha poesia ao acaso, tendo em troca um endereço de mail e a promessa de trocas de mails, sabe-se lá se para a eternidade, ou se para a brevidade de uma memória que esquecerá tal gesto mal outras noitadas, mal outras pessoas se sobreponham a esta memória recente e me dêem mais coisas com que ocupar a minha vida de cidadão ou alma de pseudo-escritor.
Mas não fosse este gesto absurdo de dar poesia a uma mulher numa discoteca(coisa que nunca fiz nem que o hei-de voltar a fazer por excesso de pudor social) essa noite teria sido igual a todas as outras…Não o dei para usar a poesia como veiculo social, (nunca usarei a minha arte assim, ele serve para comunicar, mas não para colmatar as minhas lacunas sociais, uso-a para ampliar ainda mais a minha socialização) mas para espalhar a magia que um poema encerra, para tentar com ele iluminar as noites escuras da minha cidade gótica, para recordar que mais tarde aquela noite foi especial porque a minha poesia ganhou umas estranhas asas…
Ah! Ia-me esquecendo…Quando ia a sair da discoteca caiu uma intensa chuva quente na madrugada Conimbricense. Foi só durante uns minutos, mas eu deixei-me ficar parado a receber essa chuva, recordando que em criança brincava à chuva sem tempo, chuva quente de primavera e verão, numa dança mágica que a adolescência e o mundo adulto quase apagou...e por instantes deixei-me perder entre as gotas, encharcando-me mas não ligando nadinha a esse pequeno e saboroso incómodo, e recordei feliz também por instantes esses momentos mágicos que se "perderam no tempo como lágrimas na chuva..."
Sim, afinal até foi uma noite diferente, especial…
Ontem à noite choveu…
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 30/09/2006
Reeditado em 30/09/2006
Código do texto: T253267
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5077 textos (170316 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:16)
Miguel Patrício Gomes