Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A andorinha e seus filhotes

A andorinha e seu ninho

Ouvi um grunhido de passarinho novo no ninho, alguns dias atrás tinha ouvido os mesmos gemidos do outro lado da cozinha. Ontem pela manhã quando fui até o varal que fica na área de serviço encostada na cozinha, olhei para o alto e vi uma mãe muita aflita batendo as asinhas e me espiando, talvez amedrontada, cismando se aquele lugar seria o melhor para criar seus filhos.

Espero que eles estejam todos bem. Sei que logo irão procurar seus caminhos. Não tenho coragem de subir na escada e tentar procurar onde está o ninho. A maternidade para mim é uma coisa sagrada. Que além de necessitar de privacidade, precisa acima de tudo de solidariedade.

Hoje é apenas uma andorinha com seus filhotes, amanhã é uma cadela, ou até uma pessoa. Respeito solenemente estes momentos mágicos, não só para nós como para todos os seres vivos. É uma forma de preservar a natureza e também saber respeitá-la, reverenciando-a em todos os seus pequenos e lindos detalhes.

Lembrei-me do passado, há mais ou menos uns oito anos, eu vi um casal de passarinhos lindos com plumagem muito escura, que resolvi capturá-los. Com um pouco de jeito e me aproveitando da inocência deles, joguei um pano de prato e capturei apenas um. Com a ajuda de minha sobrinha, coloquei-o em uma caixa de sapatos e o levei para a casa de minha mãe. Pois ela conhece bem passarinhos e poderia dizer-me de que espécie era aquele.  Fiquei desapontada com a reprimenda que recebi de minha mãe e também porque a pobre ave começou a piar tristemente sem parar.
_ Minha filha devolve esta andorinha para seu par. Não conheces o dito: “Uma andorinha só não faz verão”. Voltei para casa com a andorinha na caixa de sapatos e assim que tive oportunidade abri uma das janelas do quarto e ela voou feliz para o horizonte a fora.

Desde esta experiência, ainda me lembro dos piados tristes da avezinha, tomei consciência de como é bom a liberdade, porque eu deveria aprisionar. No caso atual, não quero sequer espionar. Sitno-me feliz que elas tenham escolhido a minha cozinha para começar o veraneio delas.




Aradia Rhianon
Aradia Rhianon
Enviado por Aradia Rhianon em 21/11/2006
Código do texto: T297472

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aradia Rhianon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1208 textos (87715 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:13)