Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lacustre Vórtice

Por toda dor que lhe existia, ele se matou. Com a droga vermelha e escura ele tirou a vida sem te olhar antes. À tudo tu te culpas à olhar o espelho embaçado do banheiro - berço dos contos contados por ele no papel. Te mete embaixo do cobertor para esconder-te da vergonha vagabunda. Tu o tiraste de tua vida!

Agora espera que ele volte, mas sabes que não irá, ele, regressar dos confins de cortes do norte, em um único paraíso onde ele poedria desejar, mas para ele não existia o paraíso. "O bom de não crer num paraíso é não ter de crer no inferno", era seu dito amado. Amor que o levou e fez do norte teu inferno. "Maldito!" tu gritavas sem saber que ele havia se encontrado nas casas grandes do norte, para ti ele morreu, mas para ele a vida estava tomando boa emoção e magnânima felicidade, já que os anjos que o acompanhavam tinham feições terrenas e beijos sombrios e imortais.

Sua eternidade, para ti , seria em desenvolvimento espiritual; para ele, em um sonho que não acabaria.

Intimamente ligado à morte dele estava o fato do carro, que o levou, levava àquela que o enamorava, nada secretamente.

Outra morte, filho e nora, mas que desgraça! Teu caçula e tua querida... mortos. Dor, paixão... Foram ao norte.

Leff
Enviado por Leff em 15/10/2005
Código do texto: T59925

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leff
Vila Velha - Espírito Santo - Brasil, 26 anos
28 textos (1650 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 16:53)
Leff