Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rompendo o cinza

Deixo o telefone público.

A carroça está parada na esquina. A garoa é friinha e venta

um pouco.

O homem desce calmamente, limpa uma remela do olho direito.

Calmamente o pangaré espera.

Vai até a lixeira do meu vizinho, avexado, acabrunhado. Pega

duas garrafas pet. Volta, acanhado ainda.

Me vê. Dou-lhe um sorriso e aceno. Ele todo brilha, é o

sol do domingo.

aluísio de paula
Enviado por aluísio de paula em 16/10/2005
Reeditado em 16/10/2005
Código do texto: T60118

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar autor e link para o original. Link para www.recantodasletras.com.br/autores/olhodalua). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
aluísio de paula
Curitiba - Paraná - Brasil, 43 anos
700 textos (50955 leituras)
8 áudios (1116 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 09:58)
aluísio de paula