Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DO OUTRO LADO

Quando caminhávamos de mãos dadas e ela escutava minhas ânsias, eu olhava sempre pra baixo, talvez à procura de uma superfície plana em que apoiar minhas idéias desequilibradas, jamais mirava seu rosto ou qualquer parte do seu corpo, era desnecessário, bastava-me a ilusão conferida pelo calor das mãos atadas, ilusão de que havia um interlocutor, e estávamos mais próximos então do que jamais havíamos estado (ainda que ela me procurasse com a diligência típica da mulher apaixonada), mais próximos até do que quando fazíamos amor (ainda que durante o orgasmo ela chorasse de emoção e sentisse algo que me era impossível), mais próximos certamente do que quando nos olhávamos olho-no-olho, momento em que, para ser franco, eu sentia mais intensa a distância que nos desentendia -- era como se falássemos línguas diferentes a maior parte do tempo, e mesmo quando nos entendíamos, ainda era como se nos esforçássemos através da distorção de telefone em sala de visita de prisão -- e talvez assim fosse, ela solta no mundo com sua simpatia e simplicidade, eu preso em meu mundo agotista, ensimesmado ao cúmulo, perguntando-me com frequência por quanto tempo ela aguentaria essa cruz -- essa mentira --, é claro que não tardaria, foi na última vez em que nos vimos, conversamos pouquíssimo, olho-no-olho, ela chorou muito, embora não estivéssemos fazendo amor e eu não lhe pudesse enxugar as lágrimas, disse que eu não havia mudado e que demoraria muito, e assim, sem mais, para minha surpresa e tristeza, largou o telefone e me deixou falando sozinho do outro lado do vidro.
Vital Romero
Enviado por Vital Romero em 01/11/2007
Reeditado em 01/11/2007
Código do texto: T718764

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vital Romero
Santos - São Paulo - Brasil, 37 anos
41 textos (510 leituras)
1 e-livros (8458 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 06:49)
Vital Romero