Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu encontro com Raul Seixas 

     Após longa caminhada, provações e reminiscências, obtive permissão para encontrá-lo. A princípio não o reconheci, quase cem anos separavam nossos destinos. Uma balada chamou-me a atenção, a letra, em certo trecho, dizia: “Há paz no cais celestial / Vem, velho rapaz / Vem cantar um novo blues”. 
     “Vem cantar um novo blues...”. Aquele canto em tom de convite me encheu de luz, não, na verdade jamais se houvera apagado, pois vive há 10164 anos: encantou Moisés na travessia do Mar Vermelho; fez Maomé cair na terra, de joelhos... Recriou a essência da vida em minha alma de poeta menor. 
     Pedi-lhe um autógrafo. Se bem me lembro, ganhei sete: Vinícius, Tom, Gonzaguinha, Elis, Cazuza, Renato Russo e Ayrton Senna, que estacionara seu fórmula, quando viu os amigos na mesa do bar “Anjos Eternos”. Indaguei-lhe por que não me concederia o autógrafo. Sua resposta continha já a sua assinatura: “Se hoje sou estrela, amanhã já se apagou”. 
     Desse encontro não me esqueço e nunca me esquecerei, afinal, os mitos, metades paradoxais de gênio e louco, não se repetem, ainda que sobrevivam na eternidade de nossas sensações.

Nel de Moraes
Agosto de 2087 

Para a amiga e escritora: Naza Breeman
Nel de Moraes
Enviado por Nel de Moraes em 10/12/2005
Reeditado em 10/12/2005
Código do texto: T83530

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.neldemoraes.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nel de Moraes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
407 textos (351717 leituras)
2 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:49)
Nel de Moraes