Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma surpresa espanhola

A surpresa espanhola
FLAVIO MPINTO


Chovia muito. O estrondo dos trovões e o relampejar dos raios acordam Harleideivison. Só teve tempo de ver um rasgo no céu escuro. A energia caiu e o quarto era apenas iluminado por aqueles raios.  Era uma noite sem luz e com chuva forte.
- Que coisa, ainda bem que já é tarde e só me resta dormir.

Refeito do sobressalto, relembra que sonhava com Antonia, a mais linda caixa do supermercado.
- Linda Antonia! Exclamou debaixo dos cobertores quando toca o telefone. Era a Edomenia, sua auxiliar no supermercado avisando que estava chegando.
- Mas é tarde, são duas da manhã , Edô, aconteceu algo no super com a tormenta?
- Não, Harlei, não lembras que te disse que era hoje?
- Hoje o quê?

Batem á porta e Harleideivison se surpreende com a Edô trajando uma roupa espanhola vermelha com castanholas e tudo. Trazia também um aparelho de som, uma Cava Freixenet dourada e .....
- As taças tu tens, não é? E foi entrando.
- Oh, Edô... Harleideivison ainda estava surpreso com a ousadia da Edô.

Mal entrou, Edomenia ligou o som, empurrou o amigo para um sofá e se bandeou para o centro da sala dançando uma insinuante música espanhola.
- Quem é essa mulher, meu Deus do Céu!!! Não é a Edomenia lá do super...
Cabelos vermelhos, naquele dia , pois nos outros eram cor de rosa, loiros, estavam soltos esvoaçantes e presos por um aplique dourado, perfumada, batom bem vermelho nos lábios finos, pulseiras douradas nos braços, pés e pulsos, anéis emoldurando a pintura forte das unhas,  brincos argolados, sapatos de espanhola .. Não... não era a Edomenia, parecia uma cigana. Logo ela que , de acordo com os empregados tinha uma cara tranqüila de quem não tinha carnês para pagar...
Quando a saia levantou num gesto bem característico das dançarinas espanholas, apareceu uma marquinha no joelho. Mas nunca vi essa marquinha!. Claro, nunca a vi de saia, só de calça comprida, aqueles conjuntinhos malditos que escondem tudo....
Edomenia dançava, dançava e Harleideivison  maravilhava-se.
 - Que coisa, como nunca vi essa mulher! Eu olhando só para a Antonia e ela do meu lado...Nem se dava conta que a Edô era sua melhor amiga.

- Harlei, não te preocupa com o barulho do sapateado que a vizinha de baixo sou eu e não  vou reclamar....
E dá-lhe castanholas, música cigana.....Edô dançando e se insinuando e Harleideivison  se deliciando com a champanhe espanhola.

A chuva continuava e os raios também a iluminar o apartamento.
- Harlei, olha o que trouxe para ti.
- O quê é?

Já debaixo das cobertas, Edô mostra uma caixinha enrolada num papel prateado. Era um doce de leite suíço que ele adorava.
- Puxa, Edô, como lembraste disso?
Ganhara esse doce da Antonia num “amigo secreto” e foi o maior ti-ti-ti no super. Queria esquecer, mas....imagine, ele, o gerente na boca dos funcionários por estar dando encima das caixas...Logo na mais linda ....
- Passa um pouco aqui, Harlei, disse Edô apontando para o seus seios nus.
- Oh, Edô.....

Toca o celular. Edomenia ao tentar apanhá-lo derruba um vidro de perfume que estava aberto.
-Deixa que eu atendo, Edô.
Era o Teixeira , chefe da segurança, dando notícias dos estragos.
- Coisa grande, Harlei?
- Não, Edô.
- Harlei, mais uma coisa vou te dar: um frasco desse perfume maravilhoso. Vou levar o frasco para comprar outro.
- Não, Edô, depois apanha uma caneta e anota o nome.
A cama ficou toda perfumada para continuação da noite de amor.
E foi a melhor e mais longa noite de amor de Harleideivison. Ele nem ela queriam que terminasse.

Entre goles de champanhe, Edô saiu com essa;
- Harlei, tens outra?
- Mas que outra, Edô?
- Ah, tu sabes..Eu sempre achei que chegaria depois...
- Depois de quê?
- Todo mundo lá no super diz que tu é casado...ou noivo firme...
- Mas como que sou casado ou noivo firme, Edô?
- Ela não mora aqui na cidade, não é?
- Edô, enlouqueceste?
- Não, Harlei, sempre quando venho aqui não passo da sala. Sempre me trataste como se houvesse alguém mais.
- Claro, agora conheces o quarto, se bem que está ainda meio lusco-fusco, mas ...
- Ah, bom..
- E estou a tua disposição sempre que estiveres só ou queiras ...
- Claro, és o meu melhor amigo e com absoluta certeza sempre serás.

Edomenia nem chegou a contar para Harleideivison que, antes de chegar no seu apartamento,  foi até o depósito verificar os estragos da tormenta, teve um pneu furado do carro bem defronte á oficina do Flaco e chegou toda suja em casa. Nem parecia a Edô de agora, pensava. Mas não queria estragar a surpresa que faria . Não queria perturbá-lo!


( Conto escrito durante a oficina de contos de Alcy Cheuiche- Feira do Livro 2005-Porto Alegre-RS)
FLAVIO MPINTO
Enviado por FLAVIO MPINTO em 15/12/2005
Código do texto: T86075

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FLAVIO MPINTO
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 65 anos
530 textos (94126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 07:00)
FLAVIO MPINTO