Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Passarinhos



Sentado na cama, braços cruzados sob o peito, olha pela janela do quarto. Décimo segundo andar de um apartamento num prédio qualquer da cidade grande. Havia brigado com os meninos da segunda série do primário. Injustiçado pelo tamanho, pela força, pela incompreensão da mãe. Uma grande bronca por ter rasgado a camiseta. Agora cumpria castigo por defender apenas o rosto dos socos e pontapés. Meses atrás havia visto passarinhos engaiolados. Queria um. Fora negado. Passarinho nasceu para ser livre. Lembrou dos olhos do pobre animal acuado, batendo asas quatro paredes de ferro. Preso sem razão como ele. Rede branca trançada na janela. Sua gaiola. Esparrama-se pela cama sem tirar os olhos da janela e se vê indo à loja de animais. Sorrateiramente, abrindo gaiola, libertando o passarinho. Imagina-o voando feliz pelos ares a agradecer seus pios de uma melodia qualquer. Um ponto enegrece a janela. Um passarinho pousa no beiral. Olha para dentro. Encara o menino.  Estica as asas e voa para longe dos olhos. Ele senta na cama. Levanta.  Busca mochila da escola. Revira todos os cadernos. Estojos. Bolinhas de gude. Encontra. Vai até a mesinha de estudos levanta a cadeira. Sob a janela. Sobe. A vida passa embaixo. Corta  rede branca como que  esperar retorno. Parapeito. Se vê  penas por todos os lados. Abre as asas e, num assobio de alegria, voa a liberdade dos passarinhos.
Paula Cury
Enviado por Paula Cury em 24/01/2006
Código do texto: T103246

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Paula Cury
São Paulo - São Paulo - Brasil, 47 anos
114 textos (8472 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:04)
Paula Cury