Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INTERNET I - O Real Enganador NORMANDA - (Lia de Sá Leitão)

Olá caros e amados leitores, seguirei uma sequência de textos ficcionais claro, sobre histórias da Internet. Para quem tem algum conhecimento sobre meus textos nunca os personagens possuem nomes, basta o que nos cabe como experiência virtual como identificação.
Mantenho uma correspondência assídua com uma amiga querida, uma dessas brasileiras fortes, que aparentemente se faz anônima na História mas que tem uma influência nas Artes e  Letras de reconhecimento internacional. Os e-mails correm pela reda para que não percamos contato, se somos fofoqueiras cibernéticas, o que fazer? Assumo o vício dessa  viagem adorável pelo Universo de são Bill Gates.
1ª FASE - O Desengano.
Certo dia alguém entrou numa dessas salas de chat sem alguma pretenção, buscava uma definição para a bagunça que andava a sua vida emocional. Desconsolada, desequilibrada diante da família que cobrava uma posição menos viciosa  e mais presença real diante de todos. Não podia se afastar abruptamente daquelas pessoas, conhecia muita gente numa sala que era habitual a sua entrada, risos, músicas, confidências trocadas com pessoas nunca vistas, coisa que jamais aconteceria no real.
Que e desatino era aquele? Andava ali ás escondidas e ao mesmo tempo à procura de um anjo cibernético que lesse suas mágoas, a incompreensão familiar diante do seu único divertimento.
Pensou em ligar o MSN, mas teria alguém on line que não queria encontrar, precisava de um desconhecido, frio, sem enlaces emocionais, alguém que pudesse izer algo que alegrasse seu coração como uma sugestão de tábua de salvação, não deixe a internet, mas confira aos seus uma presença real.
Estava literalmente só, ninguém conhecido, sala desconhecida, lia a sala que passva em velocidade, ali, entre o silêncio do munitor e o teclado prometia a si mesmo o abandono da internet e seus chats de bate papo, desativaria o MSN e assim sairia radicalmente       e recuperaria seus entes queridos, filhos, netos, marido.
Daria uma última entrada na sala de costume, abraçaria amigos virtuais em sensações e beijaria outros em coração, agradeceria o conhecimento de alguém que foi importante na hora do amor, mas ali estaria finalizado seu contato com o virtual.O nó estava  tão complicado para desatar que essa seria a última chance de reavaliar horas de sono, momentos de depressão, emprego perdido, internamento com uma gastrite que ninguém conhecia a causa,  cuidaria da neta, estabeleceria um relacionamento feliz de avó e neta, com uma criança que mal a conhecia. Despertou esse sentimento no último  final de semana; o pai da criança às gargalhadas narrava para todos os presentes no churrasco famíliar, fizemos nossa filha na sala de estar, sem perigo algum, minha sogra não saia do micro antes da madrugada e o sogro dormia como um inocente.
Enquanto a mente transformava a realidade em flash, e lágrimas insistentes transbordava da alma, alguém acessa seu nick name pelo pelo reservado. Oi gata, Oi podemos tc? DE onde? Quantos anos, e automáticamente ela respondia como se aquelas respostas fossem o bom dia no elevador que raramente usava, ultimamente não saía de casa, sempre olhando o monitor e as criaturas que estavam pelos chats que habitualmente entrava, olhava, fiscalizava, quantas vezes entrava calada com nick trocado só para observar o comportamento de uma criatura interessante.
o homem já debulhava seus anseios e suas desventuras, ela chorava compulsivamente, tão parecidos aquelas angústias. finalmente era aquele homem delicado, gentil, amável, a sua verdadeira alma gêmea, uma esperança se acende em sua vida, e o interesse se desdobra, o que seria o final de uma permanência, passaria a ser o início de uma novela de amor intenso,  equeilibrado,  e decisivo para os dois.
Meses depois, ela larga o vício do computador e dos  chats, larga o marido, encontra novo emprego, fala zos filhos que precisa preencher a vida com amor real, deixa a casa e  vai encontra-se com aquele nick que a encantara tempos atrás. Estão juntos, felizes, e sem  computador em casa, ele fez questão de dar ao neto o seu sistema de última geração e os dois seguem felize uma nova etapa de vida.
É o amor virtual que deu certo... um em um milhão..mas deu certo.

Nomanda
Enviado por Nomanda em 18/03/2006
Reeditado em 23/07/2006
Código do texto: T124903

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nomanda
Olinda - Pernambuco - Brasil
52 textos (3604 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:29)