Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMOR DIFERENTE/ I

ATENÇÃO: SE DENTRO DE VOCÊ EXISTE ALGUM PRECONCEITO, NÃO LEIA.



Era uma manhã de segunda feira 09 de julho de 2001, Rangel estava de folga do seu trabalho, pois aquele dia era feriado em sua cidade.
Estava um dia lindo de sol, e ele pela janela do seu quarto confirmava toda aquela paisagem daquele dia feriado, era por volta das dez horas, levantou tomou seu banho em seguida arrumou o quarto e depois foi tomar seu café, onde morava em uma república de amigos.
Na hora do café todos animados cada um tinha algo para fazer, um iria visitar os pais, outro iria sair com a namorada, só Rangel que não sabia para onde ir e nem o que fazer naquele dia tão agradável,depois de tomar o café ele saiu para a rua, estava cansado de ficar trancado dentro daquele apartamento.
Sentou-se na pracinha que ficava bem em frente e ali passava alguns conhecidos que lhe cumprimentava, ali ele ficou um tempo olhando o vai e em das pessoas.
Mesmo naquele agito de pessoas indo e vindo ele estava meditando sobre o fim de um relacionamento, não estava mais triste apenas lamentava o fim.
De repente alguém lhe bate as costas, teve um susto estava distraído com o pensamento longe, assim que virou-se para trás, viu Mauro que deu uma risada achando graça da reação do Rangel.
Sentou-se junto a ele e ali os dois começaram a conversar sobre trabalhos e depois sobre futebol, e ali a conversa se prolongou por quase uma hora.
Depois o Mauro falou que estava com sede, e o Rangel convidou para entrar em sua casa, chegando lá o Mauro perguntou-lhe qual seria seu programa para aquele dia, Rangel respondeu que seria nada diferente, assistir alguns filmes depois tocar um pouco de violão e se preparar para a rotina do dia seguinte.
O Mauro era um rapaz bem mais velho que o Rangel, não gostava nada de rotina levava uma vida agitada, sempre passeando conhecendo pessoas novas etc.
Então Mauro  gostava muito do amigo, mas não estava afim de dividir com ele aquele dia, discutindo filmes, ouvindo ele errar as notas no violão e nem de beber aquele vinho de sempre, convidou o Rangel para dar umas voltas com ele no centro de São Paulo,Rangel  não estava disposto argumentou que estava sem dinheiro estava sem coragem, mas  o Mauro não quis saber das desculpas do amigo,para cada desculpas do Rangel ele tinha uma solução, então Rangel vendo que não tinha como fugir resolveu aceitar o convite do amigo.
Saíram os dois, em destino a um shopping , chegando lá os dois amigos foram logo jogar boliches, aproveitando aquele dia o Máximo possível.
 Depois do boliche um intervalo para tomar um lanche e depois o Rangel foi circular um pouco nas lojas para ver as novidades,aquele dia estava sendo diferente mais nem mesmo ele saberia dizer o porque, o Mauro segui para outros lados e marcaram de se encontrarem depois em um certo ponto dentro do shopping.
Depois de andar um pouco o Rangel parou e ficou olhando um cartaz de um filme, que ele ainda não tinha assistido mais que queria muito, pensou em chamar o Mauro para entrar com ele no cinema, mas achou que o Mauro poderia esta paquerando alguém pensou em ligar para o celular dele e avisar, mas achou melhor não, pois combinou de só encontrar o amigo depois de quatro horas, dava tempo demais de ver o filme.
Então ele decidiu entrar na fila da bilheteria e comprar seu ingresso,como o filme estava sendo muito assistido a fila estava imensa dando voltas, de repente alguém  mexeu na carteira e caiu um dinheiro no chão, ele muito gentil pegou o dinheiro  e entregou a pessoa ao lado que lhe agradeceu , e assim comprou sua pipoca e seu refrigerante para comer durante a sessão, chegando dentro da sala tudo estava normal, procurou um lugar melhor para sentar-se, desligou o celular, e ficou na espera para o filme começar.
Algo dentro de si estava ficando diferente mais nem mesmo ele sabia o porque, sentado ali junto com outras pessoas,ele era apenas mais um rapaz solitário sem muito o que fazer naquele feriado,
Começou o filme e Rangel mal piscava os olhos prestando atenção em cada sena em tudo que estava acontecendo, ele não queria perder nada, e assim começou a devorar as pipocas, naquele escuro que mal dava para ver os rostos das pessoas parecia que dentro daquele cinema só existia ele.
Já estava quase na metade do filme e Rangel cada vez mais ansioso para ver o final sua boca salgada pela pipoca, estava com sede também mais continuava ali, sem prestar a tenção em mais nada.
Algo estava acontecendo mais sua timidez era grande ele achou que pudesse ser imaginação, sobre o filme, mas mesmo sem confirmar sentia que alguém esta olhando mais para ele que para o telão, seu coração começou a bater mais acelerado, não dava para ver muita coisa, mais sabia que alguém não tirava os olhos dele.
Sentiu um pouco de medo imaginou um monte de besteiras, não poderia adivinhar quem pudesse esta ali perdendo o filme e olhando para ele.
Não procurou saber nem quem era que estava prestando tanta atenção nele aquilo já estava lhe incomodando, mas o filme estava bem mais interessante que olhares pedidos na platéia.
Rangel estava cada vez mais envolvido com o filme,que estava chegando nas partes finais, parecia que ali so existia ele dentro daquele cinema imenso, e assim finalmente depois de agum tempo o filme acabou, então ele pensou em dar uma ligada para o Mauro, discou o número do amigo, mas so chamava, discou mais uma vez e denovo só chamava, discou mais outra vez, e a mesma coisa.estava ali ainda sentado o pessoal saindo da sala, e ele tentando falar com o Mauro, olhou no seu telefone não tinha nenhuma ligação perdida do amigo, ele estava achando tudo muito estranho.
Assim quando a sala estava quase toda vazia Rangel decidiu sair também.

CONTINUAÇÃO AMANHÃ/ Brione
BRIONE CAPRI
Enviado por BRIONE CAPRI em 28/03/2006
Reeditado em 28/03/2006
Código do texto: T129841
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BRIONE CAPRI
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 32 anos
1428 textos (66608 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:14)
BRIONE CAPRI