Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O sonho da ave


Era perder-se naqueles céus imensos, naqueles céus sem tamanho sentir todo o seu corpo e parte da alma tocados por aquela imensidão sem par, sem tamanho, era poder estar à altura de amar aquelas alturas tão distantes mas ao mesmo tempo tão demasiado perto. Aliás ela nunca se poderia perder nesta vastidão infinita, porque estaria sempre em casa dentro dela, porque a adorava demasiado para se deixar (e)levar por este objecto tão estranho mas ao mesmo tempo tão intensamente seus. Era descobrir um qualquer ponto cardeal no meio daquele nada, um ponto qualquer para se recordar dos incontáveis momentos de felicidade cada vez que lá passasse, cada vez que tocasse esse desmesurado todo o qual nunca acharia o fim por muito que os voasse. Agora que os seus músculos denunciam os anos a pairar no meio de nada, agora que o seu corpo se nega ao prazer da alma por se encontrar finalmente velho, gasto (pelo menos para a ousadia do voo) ela olha com a maior de todas as paixões (que são aquelas não correspondidas) esse azul inatingível e sonha no que já teve e que jamais alcançará. O sonho da ave era achar o fim dos céus e de assim de certa maneira ganhar a eternidade, sabendo que quando morresse esses céus não tardariam a acompanha-la. Era um amor egoísta este de não querer que o ente amado prosseguisse sem ela, mas não há certos amores assim? Censuráveis sem dúvida, mas nem por isso menos amor. Se fosse um dos elementos da mais ousada das espécies ela saberia que o azul tem fim, que é apenas uma pequena fronteira antes do sonho maior, o de conquistar uma parcela do espaço infinito, mas com isso perder um pouco da paixão imanente àquele azul sem fim cujo mistério estava afinal em precisamente imaginar esse azul como sem fim
O sonho da ave.

Conto protegido pelos Direitos do Autor
Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 30/03/2006
Código do texto: T130865
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5079 textos (170383 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:25)
Miguel Patrício Gomes