Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMOR DIFERENTE/ X

ATENÇÃO:SE DENTRO DE VOCÊ EXISTIR ALGUM PRECONCEITO, NÃO LEIA.




   E assim foi passando os dias já fazia mais de um mês que Ricardo e Rangel estavam vivendo aquele conto bonito, Rangel todas as noites recebia a ligação de Ricardo sempre ficava horas e mais horas no telefone,falando sobre os acontecimentos durante o dia etc,
Ricardo já não ficava mais em casa, nos dias de sua folga estava sempre com Rangel e sempre fazendo surpresas, seus pais sempre faziam festas em sítios , viajavam mas Ricardo estava sempre por fora das comemorações da família, o mundo dele estava sendo o Rangel , certa vez  durante a semana eles não se viram , e o Rangel estava morrendo de saudades do Ricardo, Ricardo prometeu que  iria lhe ver no sábado como de costumes, Rangel trabalhava meio expediente na loja nos dias de sábado.
     Neste dia estava fazendo muito frio, era agosto e em São Paulo este mês é um dos mais frios, Rangel saiu rápido da loja correndo de volta para casa, para esperar o Ricardo, chegando em casa, tomou seu banho e ficou na espera, do seu namorado, foi passando as horas e nada do Ricardo chegar e o telefone não tocava, Rangel estava inquieto e preocupado com a demora do Ricardo que não era de costume dele se atrasar, de repente  o  interfone tocou, Rangel foi correndo atender, era o Ricardo Rangel liberou a entrada dele e ficou já preparando uma bronca para lhe dar em pensamento, assim que Ricardo bateu na porta que Rangel atendeu uma surpresa, Rangel ficou parado, pasmo diante do Ricardo.
      Ricardo estava tremendo de frio, estava com os lábios roxo, no abraço que o Rangel deu nele percebeu que a temperatura estava muito alta, já foi logo perguntando, o que estava acontecendo, Ricardo apenas falou que estava  morrendo de saudades. E precisava ver o Rangel , Ricardo estava com muita febre, Rangel correu levou ele para seu quarto e ficou desesperado pois a situação do Ricardo era muito séria, não tinha a mínima idéia o que poderia fazer e nem o que poderia acontecer, correu pegou o termômetro, e foi medir a febre do Ricardo, minutos depois passado, contatou que Ricardo estava com trinta e nove e meio de febre, Rangel estava em casa só desesperado não sabia o que fazer diante de uma situação daquelas,ligou para uma drogaria para pedir algum chá , algum remédio , depois vieram entregar, mas Rangel teve medo de dar os remédios para Ricardo que estava delirando  em seu quarto de tanta febre, não poderia avisar a ninguém da família dele assim seria muito arriscado, tentou encontrar o Juvenal pelo celular, mas só dava caixa postal, e a situação estava cada vez se complicando, estava com medo que o Ricardo tivesse alguma convulsão, então toda hora o Rangel estava indo e vindo no quarto onde Ricardo estava, e Ricardo pedindo entre delírios que o Rangel deitasse perto dele, mas era impossível ter calma com um problema daquele tamanho para resolver, então o Rangel lembrou de pedir ajuda ao Mauro, ele tinha carro poderia, levar o Ricardo em um pronto socorro, mesmo assim estava com medo, e se o Ricardo fosse ficar internado? O que seria? Como iria explicar a família dele? Rangel estava cada vez mas nervoso, ligou para o Mauro explicou para ele o que estava acontecendo pediu-lhe ajuda rápido,mas o Mauro estava saindo do serviço e tinha  que passar em algum lugar pois tinha marcado um compromisso, Rangel nem teve cabeça para xingar o Mauro estava num sufoco, precisava ajudar o Ricardo, parou um pouco e tentou  pedir  ajuda a uma amiga a Elaine, sabia que ela estava trabalhando mas tinha que pedir socorro a quem pudesse ajudar, Elaine e o Rangel eram muito amigos como se fossem irmãos, ela estava trabalhando, mas mesmo assim  quando o Rangel ligou chorando, lhe dizendo o que estava acontecendo, ela largou tudo e saiu para  ajudar o amigo.
      Rangel ate ficou mais calmo, mas estava sentindo que tudo aquilo não iria acabar bem, estava com muito medo que acontecesse alguma coisa com o Ricardo, dentro de meia hora mais ou menos a Elaine chegou, Rangel foi logo abraçando a amiga com os olhos cheios de água, e o Ricardo estava quente feito uma fornalha, mas a Elaine estava calma e com muita vontade de ajudar,assim que ela foi ao quarto, contatou que além da febre Ricardo também estava com bronquite, ela lembrou que em sua casa tinha um inalador, que iria ajudar o Ricardo a melhorar e também tinha uma amiga que era enfermeira, poderia contar o a amiga, Rangel estava numa tesão só, pedindo que nada de mal acontecesse ao Ricardo, pois sabia que se seus pais descobrissem algo estranho poderia complicar o relacionamento deles.
    A amiga da Elaine pediu que dessem um banho no Ricardo, que ela já estava indo ver como estava o estado dele, Rangel assim fez, pegou Ricardo e deu- lhe um banho e agasalhou bem ele com suas roupas, situação já estava ficando controlada, depois a Elaine voltou com o inalador e trazendo a amiga dela, que aplicou-lhe uma injeção no Ricardo, já  estava ficando tarde, e o Rangel estava muito preocupado com o horário de Ricardo voltar para casa dele, pois ele não poderia dormir fora, nunca havia dormido fora antes, e na situação que ele estava seria bem melhor que ele estivesse junto com os pais, assim saberiam cuidar melhor dele.
 
Brione/Parte/10
BRIONE CAPRI
Enviado por BRIONE CAPRI em 31/03/2006
Reeditado em 31/03/2006
Código do texto: T131503
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BRIONE CAPRI
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 32 anos
1428 textos (66580 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:48)
BRIONE CAPRI