Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMOR DIFERENTE/ X I

ATENÇÃO:SE DENTRO DE VOCÊ EXISTIR ALGUM PRECONCEITO, NÃO LEIA.



   Rangel estava em um desespero grande, deitado no colo de sua amiga Elaine, no sofá da sala de cabeça baixa, suas lagrimas caiam sem que ninguém percebesse seu choro calado, estava sofrendo também com toda aquela situação, ainda bem que tinha amigos, ainda bem que ele era uma pessoa maravilhosa que todo mundo gostava, depois de um certo tempo chegou o Mauro, todo apavorado querendo saber o que estava acontecendo, mas já era um pouco tarde para quem estava pedindo ajuda a três horas antes, ficou sentado junto ao Rangel conversando, sobre o que tinha ido fazer, antes de vir ajudar o amigo, mas Rangel estava tão preocupado que nem deu muita atenção a conversa e as desculpas do Mauro.
     Depois que passou algum tempo, foram ver como estava a situação do Ricardo e perceberam que já estava tendo melhoras, mas tinham que esperar um pouco mais, o Mauro perguntou se o Rangel iria precisar de sua ajuda, Rangel estava chorando apenas balançou a cabeça dizendo que não, então o Mauro foi embora para a casa dele sentiu que tinha pisado na bola com o amigo, que poderia muito bem deixando seu compromisso furtil e ter vindo prestar ajuda ao Rangel , depois que viu que a situação era séria.
       Já estava ficando tarde da noite, e Ricardo precisava voltar para casa, Rangel sabia que seria um grande risco se ele ficasse, pois os pais iriam procurar saber o que tinha acontecido para ele ficar sem dar notícias e eles já estavam desconfiados com as saídas do Ricardo sem dar muitas explicações, depois foram ver mais uma vez, a febre do Ricardo já estava mais controlada, então a Elaine foi levar a amiga enfermeira em casa e depois  voltou para a casa do Rangel , sabia que o amigo iria precisar de sua ajuda,  Rangel estava muito triste, mas estava tento muito apoio e força da amiga, depois ele foi ao quarto onde o Ricardo estava e começou a conversar com ele, ele também concordava que tinha que ir para casa, para não despertar  suspeitas nenhuma a seus pais, abraçados os dois choravam e conversavam, Rangel  alegava que tinha sido loucura aquela visita do Ricardo daquele jeito, mas o Ricardo dizia que se ficasse daquele jeito em casa, não saberia como seria sem pelo menos poder ver o Rangel, depois de conversarem um pouco decidiram que já estava passando da hora de Ricardo voltar, Elaine ofereceu levar o Ricardo de carro para casa, assim fizeram , seguiram para zona leste de São Paulo, estava chovendo muito, no banco de trás Ricardo deitado no colo de Rangel que fazia carinho em sua cabeça, estava um clima de muita tensão , então Elaine resolveu ligar o som um pouco para descontrair, e em seguida começou a tocar a música que Rangel tanto gostava, ele sentiu um aperto dentro do peito, uma agonia , uma sensação que lhe sufocava por dentro, mas não queria que o Ricardo percebesse que ele estava chorando, mas como não suas lagrimas caindo no rosto de Ricardo que estava deitado no seu colo.
       Assim seguiram o caminho sentido a casa de Ricardo que Elaine não conhecia e nem o Rangel mas o Ricardo , apesar do que estava sentindo ainda poderia ensinar o caminho,
Depois de rodarem bastante, pegado a radial leste que estava um transito imenso começaram a entrar nos bairros, Ricardo pediu a Elaine que deixasse ele cinco quarteirões da casa dele pois sabia que já era muito tarde e seus pais deveriam esta procurando ele por toda  vizinhança, deveriam ter ligado para todos os conhecidos que eles sabiam que o Ricardo, visitava, Rangel não queria deixar o Ricardo na metade do caminho, mas ele explicou bem a situação , então mesmo não achando muito certo ele assim concordou, deixaram o Ricardo onde ele pediu, Rangel estava com o coração na mão, não sabia o que poderia acontecer com o seu amor, se despediram com um abraço forte e demorado, Rangel e Elaine ficaram dentro do carro vendo o Ricardo sumir na esquina da rua, depois pegaram o caminho de volta, Rangel estava arrasado,aquela noite seria muito longa, precisava ter noticias do Ricardo, só  iria  ficar calmo quando o Ricardo ligasse.
Elaine então voltou com o Rangel , chegando em casa os amigos do Rangel a estavam em casa e estavam muitos preocupados, todos dando muita força para ele, Elaine sentindo que o Rangel estava muito abatido, resolveu passar aquela noite ao lado do amigo, Rangel não sentia vontade de fazer nada, só ficava pelos cantos com um olhar distante pensativo, mas seus amigos estavam todos ali lhe dando forças, ate o Mauro ligou para saber como ele estava, Rangel com a voz um pouco rouca , falou que estava tudo resolvido, o Ricardo já estava em casa, agradeceu a preocupação do Mauro, foram passando as horas já era altas horas da noite, e o sono de Rangel não chegava, Elaine  do seu lado conversando para animar o amigo, mas ele estava mesmo muito triste.
       O dia foi amanhecendo e o Rangel ainda estava acordado, o telefone nada de tocar, nem um sinal nenhuma notícia do Ricardo, ele estava cada vez mas angustiado, ate pensou em procurar a casa do Ricardo, como um amigo qualquer para saber dele, afinal seu jeito não demonstrava quem ele era, mas também pensava que não seria certo, poderia causar algum transtorno para o Ricardo.

Brione/11/Parte
BRIONE CAPRI
Enviado por BRIONE CAPRI em 31/03/2006
Código do texto: T131521
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BRIONE CAPRI
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 32 anos
1425 textos (66574 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:34)
BRIONE CAPRI