Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMOR DIFERENTE/ X V I I

ANTENÇÃO:SE VOCÊ TIVER ALGUM PRECONCEITO, NÃO LEIA.



    Rangel achou loucura de mais de Ricardo enfrentar o pai dele no calor das emoções, seria por a história dos dois a perder, mas Ricardo estava muito nervoso,estava sem saída para aquela situação, então o Rangel resolveu se esconder, Ricardo não queria mas Rangel decidiu que seria melhor assim, Ricardo então teve a idéia de abrir um portão nos fundos e enquanto o pai entrasse dentro da casa, o Rangel entrava dentro do carro que eles vieram, e assim eles fizeram, enquanto isso o Gurgel estava nervoso aponto de derrubar a porta de tanto que batia, Ricardo foi correndo e abriu a porta muito nervoso, Gurgel entrou olhando nos olhos do filho perguntando com quem ele estava na casa, Ricardo sem saber muito o que dizer, inventou que estava sozinho na casa, decidiu vir para o sitio só porque queria relaxar um pouco ficar distante do barulho da cidade, do agito dos fins de semana, Gurgel olhava para Ricardo torcendo as mãos com vontade de enforca-lo até ele dizer a verdade,
Pois sabia bem que o filho estava mentindo, que tinha um outro rapaz na casa, Gurgel então falou que veio para pegar umas ferramentas, e saiu procurando pelos cômodos da casa, mas na verdade ele estava procurando a outra pessoa que viu deitada ao lado de Ricardo, assim ele entrava e saia dos quartos da sala e de todos os cantos, achando muito estranho , não poderia ter se enganado, porque ele tinha visto bem claro uma pessoa deitado junto com Ricardo.
     Depois de procurar até pelo quintal e o Ricardo indo atrás como se estivesse desviando a atenção de busca do pai, ele já estava quase convencido que tinha se enganado, mas saindo pela garagem da casa, ele notou que o carro que o Ricardo estava, antes quando ele chegou estava com a porta malas fechado e naquela hora estava com a porta malas aberto, então ele teve a certeza que tinha alguém escondido dentro do porta malas, Ricardo estava nervoso uma tensão muito grande, não sabia como agir, tinha que fazer alguma coisa para o pai ir embora, mas cada vez sentia que Gurgel estava nervoso e tinha um ódio no olhar.
       Então o que eles tinham planejado tinha saído tudo errado, Gurgel decidiu deixar o carro que ele veio para o Ricardo e levar o carro do Ricardo embora, Ricardo quis inventar uma história para o pai não fazer a troca dos carros, pois ele sabia que seu amor estava lá no porta malas, mas o Gurgel nem deu chances do Ricardo falar alguma coisa  jogou a chave no chão bem nos pés de Ricardo e perguntou onde estava a chave do carro que ele queria levar, mais olhando para dentro do carro ele viu que a chave estava jogada no banco do motorista, e já foi entrando no carro, Ricardo não sabia o que fazer naquele momento, estava temendo muito pelo Rangel, não sabia o que poderia acontecer com ele.
      Gurgel ligou o carro e falou muito serio olhando nos olhos de Ricardo que queria muito ter uma conversa com ele, assim que ele chegasse em casa, Ricardo perguntou para onde o pai estava indo, Gurgel com um sorriso no canto da boca de deboche falou que iria passear depois iria para casa, Ricardo sentiu vontade de se jogar na frente do carro que o pai estava levando, e dizer toda a verdade para ele, mas estava com medo, sabia que iria sofrer muitas conseqüências e o Rangel iria sofrer mais ainda.
       Assim Ricardo ficou vendo Gurgel sair com o carro correndo um pouco mais do que devia, e não tinha como o Rangel sair do porta malas pois ele antes de entrar no carro fechou, Ricardo não pensou duas vezes, pegou uma camisa e entrou no outro carro e saiu atrás do pai, pois estava sentindo que o pai tinha desconfiado de algo, e sabia que ele levou  aquele carro porque sentiu que o Rangel estava dentro do porta malas.
Assim ele fez, saio perseguindo para não deixar que o pai fizesse nenhum mal para o Rangel, mas o pai estava correndo muito Ricardo não estava conseguindo nem ver mais sinal do carro do pai na estrada, parava perguntava a algumas pessoas que passavam a pé mas as informações estavam todas duvidosa, ele pegou um terço que estava pendurado no retrovisor e começou a  rezar e pedir que nada acontecesse com o Rangel, o sitio tinha muitas estradas era cheio de matas, seria muito difícil encontrar o carro do pai mas ele não desistia, precisava salvar o Rangel tinha que fazer alguma coisa, seu coração estava sentindo uma forte dor, um grande aperto, as estradas eram muitos esburacadas o carro não poderia correr muito, sentia que estava no caminho certo, não iria deixar o pai fazer nada com Rangel, nem que fosse preciso contaria toda a verdade para ele, mas salvaria a pele do Rangel e ele sabia que o Gurgel só andava armado.
      Vinha um casal pelo caminho do sitio e ele parou o carro e perguntou sobre o carro que o pai estava, falando sobre a marca e cor, então o homem falou que viu o dono deste carro parado em uma barraca na beira da estrada, ele pediu três doses de conhaques e bebeu em seguida uma atrás da outra e entrou de novo no carro e segui pela estrada alta.

Brione/16/Parte
BRIONE CAPRI
Enviado por BRIONE CAPRI em 03/04/2006
Código do texto: T133291
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BRIONE CAPRI
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 32 anos
1428 textos (66608 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:04)
BRIONE CAPRI