Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMOR DIFERENTE/ X V I I I

ATENÇÃO:SE VOCÊ TIVER ALGUM PRECONCEITO, NÃO LEIA




   Seguindo as informações Ricardo saiu mais nervoso ainda e começou a correr mais o que poderia naquelas estrada ruim, então com a pressa que ele estava de encontrar o pai e impedir de acontecer alguma loucura, ele passou com o carro dentro de um buraco e não teve como mais sair, então Ricardo ficou mais nervoso ainda, seu final de semana feliz junto com o Rangel estava virando um grande pesadelo.
       Ricardo ficou lá parado com o carro com uma roda dentro de um buraco sem poder sair, enquanto isso Rangel não fazia idéia do perigo que estava correndo,pensava nele e no Ricardo, mas sabia que aquela situação não iria acabar nada bem, depois de ter corrido muito pela estrada alta, que era uma estrada muito perigosa e deserta e a beira da estrada havia um matagal muito fechado, ali não passava quase ninguém, Gurgel sabia bem para onde estava levando o Rangel.
        Depois ele parou o carro e foi abrir o porta malas para ver se estava mesmo com o Rangel dentro, quando abriu viu Rangel chorando, ele estava fumando ficou olhando nos olhos de Rangel e queimou ele com a bituca do cigarro, depois fechou o porta malas e saiu de novo ela estrada, ele já sabia bem o que iria fazer com o Rangel.
        Depois de esperar muito tempo na estrada para passar alguém que ajudasse ele tirar o carro daquele buraco, finalmente Ricardo recebe a ajuda de dois homens que passava pelo local, ele sabia que seria difícil alcançar o carro do pai, mas tinha que tentar, tinha que ajudar o Rangel não poderia deixá-lo sozinho num momento daqueles.
      Ele estava sentindo raiva dele mesmo por não ter enfrentado o pai enquanto estava na casa e falado tudo para ele, quem sabe teria evitado toda aquela loucura , tinha agido como um covarde, diante de seu grande amor , mas enquanto seguia em busca dos dois pelo caminho, estava decidido que estava na hora de enfrentar o pai, que se tinha algum erro no amor deles dois, não seria só de Rangel e não era justo ele sofrer sozinho, ele tinha que ajudá-lo.
     Chegando em um local de mata fechada Gurgel resolveu parar o carro ali não passava ninguém , ali seria o lugar perfeito para ele fazer o que queria com o Rangel, então ele parou o carro, pegou o revolver e olhou a estrada bem, tudo estava em silencio total, depois ele saiu caminhando sozinho para dentro da mata, verificando o lugar se seria seguro para ele por em ação o seu plano, seguiu dentro da mata olhando as arvores enormes  ali só tinha os cantos dos pássaros e nada mais .
     A manhã estava chuvosa, ele voltou com a arma na mão e abriu o porta malas, Rangel estava chorando muito, ele então puxou ele pelo cabelo dizendo, então é você a mulherzinha do meu filho?então é com você que ele se diverte? Saiba que meu filho é homem, ele não tem nada para te oferecer, Rangel só olhava nos olhos dele, ele então perguntava o que o Ricardo era do Rangel, ele muito corajoso falou que o Ricardo era o amor da vida dele.
       Gurgel ouvindo aquilo tudo despertou mais ódio ainda, e começou a lhe chamar de moleque, uma serie de nomes de baixo calão, então ele pegou umas cordas que estavam dentro do porta malas e surrou o Rangel, depois de ter surrado ele pegou amarrou as mãos de Rangel e o pescoço, seguiu para dentro da mata, chegando lá começou a torturar o Rangel e lhe xingando de muitos nomes, depois amarrou o Rangel em uma arvore e começou a bater nele mais ainda, em seguida ele começou a mirar a arma em direção do Rangel , ele estava sego de ódio.
        Ricardo estava vindo seguindo a estrada certa, então depois de correr muito de longe ele avistou o carro que o pai e o Rangel estavam, ele então estava disposto em dar um fim em toda aquela situação, parou o carro um pouco distante e saiu caminhando em direção ate o carro que os dois estavam , mas chegando lá ele não viu  ninguém , olhou no porta malas bateu chamou pelo Rangel mais sabia no fundo que ele não estava mais lá, ficou desesperado, então ele olhou para o chão e viu umas pegadas que entrava para a mata, e começou a seguir, com mais cuidado ainda, pois estava temendo muito pelo Rangel, estava tudo em silencio, só os cantos dos pássaros, depois ele escutou um tiro, seu coração apertou, os pássaros se assustaram, Ricardo temia pelo que estava imaginando.




Brione/18/Parte
BRIONE CAPRI
Enviado por BRIONE CAPRI em 03/04/2006
Código do texto: T133318
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BRIONE CAPRI
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 32 anos
1428 textos (66612 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:53)
BRIONE CAPRI