Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




Ouvi esta estória de uma grande amiga, a mesma que me contou o causo do Boi Rajá.

“Foi assim, nóis tudo combinemo um cuzido para o domingo.
-Cozido, daqueles com verdura?
-Craro! E tem cuzido sem verdura, carne de sertão, costela, e lingüiça? Pois é. O terreiro tava cheio de gente, Só nóis da famia, muito minino, e aí foi chegano muita moça e rapaiz.
- E a comida ia dar para todo mundo?
- Craro que ia, a gente sempre cuzinhava nas panela de barro, das maió.
Fui na cuzinha fazê carquer coisa e na vorta, vi uma cobra patrona
- Onde? As outras pessoas não viram?
- Não, a gente tava no meio da prantação de mandioca, tinha pé de abobra, pé de araçá, ela se escondeu, na prantação de mio,mai eu vi.
Avisei logo pra todo mundo e fui logo dizeno: - Voceis não mexe nela, nem vai bater pra querer matar, pruque não vão consegui e vai ser pior.
- Como assim?
- Eles tudo ia assanhá a cobra e ela vorta para esperá quem bateu nela, Mais num me ouviram, bateram nela, num cunseguiram matar e, ela correu.
- E voltou no outro dia? Perguntei, desacreditando.
- A sinhora nun credita, mais vortou sim. De manhã cedin nóis foi prá fonte pegar água, eu e outras moça. Quano espio invorta o que vejo?
- O que? conta!!
- A cobra patrona...
- O que é cobra patrona? esqueci de perguntar...
- Adispois eu digo, deixa eu continuá... debaixo dum pé de manga, no meio das fôia, lá tava ela: fez uma rudia e se cortou em treis pedaço.
- Rudia, o que é isso?
- Uma rudia, ora, a sinhora nun sabe? Cumo aquela de pano que nóis põe na cabeça prumode carregar lata d água.
- Ah! Sei... a cobra mesma se cortou? Ela quis se matar, é isso?
- É sim senhora, ela fica cum raiva, se corta cum os dente, fica ali e morre.
- Tadinha da cobra...
Apois é, nun é bom presegui cobra. Se ela nun acha quem bateu nela ela se mata.
Ah! Cobra patrona é uma cobra véia, antiga, de famia, sacumé?
- Sei. Obrigada, você conta coisas que só vendo para acreditar...
- A sinhora qui sabe...


Causo contado por Iraildes , adaptado e escrito por Yara Cilin Lima Oliveira

Imagem: Casa  Fazenda na Serra da Canastra ( que me perdoe o autor, não sei seu nome para citar, achei na NET)


Yara (Cilyn) Lima Oliveira
Enviado por Yara (Cilyn) Lima Oliveira em 11/01/2009
Reeditado em 11/04/2013
Código do texto: T1379173
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Yara (Cilyn) Lima Oliveira
Feira de Santana - Bahia - Brasil
561 textos (17952 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/14 11:06)
Yara (Cilyn) Lima Oliveira

Site do Escritor



Rádio Poética