Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dois corações

Sim! Você existe.
Por tanto tempo busquei um alguém para preencher meu coração, por milhas andei, por nuvens sobrevoei, por desertos pisei, por montanhas escalei, mas esqueci de olhar no principal lugar, o mais simples e o mais delicado, o mais doce, a minha alma.
E como foi difícil levantar e andar, seguir a vida, perceber que o horizonte sempre esteve aí ao meu alcance, somente alguns metros nos afastava.
Então... no momento em que menos esperava, você surge para mim, lugar de onde nunca pudesse imaginar.
Teu jeito simples de conversar foi me cativando aos poucos, teu sorriso doce, e sem querer querendo, mas prevendo o que poderia acontecer, o instante mágico aconteceu,deixei-me apaixonar-se...
Nesse instante vi passarinhos verdes, azuis, todos coloridos ao meu redor, o bando inteiro estava sorridente pela minha mudança, tal como nos filmes românticos, pude perceber que a vida novamente sorria para mim.
E por dias, semanas trocávamos vida, sentimentos, afeições, carinhos, experiências, até que um dia resolvemos ver se tudo aquilo que estávamos sentindo era real e marcamos de nos encontrar.
Os dias que antecediam nosso encontro passavam a ser um tormento na minha cabeça pensando em como seria o dia 'x'.
Pensava comigo, ''será que ele me achará atraente? Será que ele gostará de mim? Será isso, será aquilo, até que chegou o dia esperado.
Olhava insistentemente o relógio, parecia que os ponteiros não se movimentavam, minutos passavam e a cada segundo o nervosismo tomava conta de mim. Tentava ligar, mas só caia na caixa postal e com aquela vozinha impessoal ''após o sinal deixe seu recado que assim que puder retorno sua ligação'', como gostaria de falar, 'hei moça, chama ai meu amor, diz que sou eu, seu amor, sua metade, sua vida que esta aqui apreensiva querendo noticias', mas nada podia fazer, aquela vozinha era programada para dizer aquilo e eu aqui nervosa com sua demora. E foi assim durante horas. Tentei uma, duas, inúmeras vezes e só caixa postal.
Sentei, chorei, esbravejei, xinguei, pensei '' tudo não passou de mais uma brincadeira para meu coração apaixonado, como pude deixar-me enganar dessa maneira'', mas algo dentro de mim dizia que não, que não estava errada, que havia um motivo para esse desencontro.
E ele do outro lado da cidade tentando falar comigo, explicar que seu carro havia quebrado, mas como avisa-la, se na pressa esqueci de anotar o número que ficou no caderninho.
Após tantas horas passadas e sem retornos resolvi juntar os pedaços que sobraram de mim e cair fora. Voltei cabisbaixa, revoltada dizendo para mim mesma que não deveria ter-me exposto dessa maneira, xingando-o, pensando como ele deve ter-se divertido comigo essas semanas todas, estava irada comigo mesma.
E para complicar mais ainda meu estado de animo lá na frente do outro lado da pista um carro atrapalhando todo o trânsito parado no acostamento. Uma parte minha não queria nem saber o que estava ocorrendo lá, mas uma outra parte minha dizia, olha, repara direito e foi ai que o vi, meus olhos encheram-se de lágrimas, ele lá parado fora do carro aguardando o reboque. Parei meu carro de qualquer maneira e corri ao seu encontro. Um misto de sentimento de culpa e amor tomaram conta do meu coração no momento, como pude ter sido tão insensível e não perceber que poderia ter ocorrido algo com ele me puni por tê-lo xingando, pensado que ele fosse mais um a machucar meu coração.
Sai gritando por ele, amooooor estou aqui, olha para mim, eu vim, estou aquiiiiiiiii, e por instante tudo parou, ele olhou para trás, viu que estava seguindo em sua direção e como nos filmes de amor parecia que sinos ecoavam em nossos ouvidos, entre alegria, choros, soluços e abraços nos beijamos, o mundo parou, parecia que anjos tocavam harpas no céu, foi mágico, intenso, uma alquimia perfeita, uma energia transcendental, explosivo mais suave, terno, doce a magnitude do momento.
Não sei precisar quanto tempo levou esse toque majestoso, mas pela primeira vez agradeci a D'us pela bênção recebida e pude então confirmar que Ele nos ama realmente, e sempre nos dá uma nova chance todos os dias, e naquele momento em que te encontrei pude realmente perceber o quanto a vida estava sorrindo novamente para mim, mostrando o teu melhor lado, o lado da felicidade, da paixão, do amor, que simplesmente nasce em pessoas que sempre acreditam no dom maior da vida, no amor puro, nas almas transparentes que somente almejam a felicidade para um bem maior, o amor.
O meu amor nasceu a partir do momento em que te conheci, como? Onde? Por quê? não saberia dizer, simplesmente nasce, brota.
Seus olhos não me saem do pensamento, lembro deles a cada segundo do meu dia, seus dedos acariciando meus cabelos é como uma brisa suave do vento, mexendo com todos os meus sentidos, relembrando  a magia do momento, impossível de controlar, impossível de segurar, é como uma leve caricia no ar, como o brilho do seu olhar.
Sabemos que nosso amor foi abençoado e que ele dure o tempo suficiente para ser eterno.
Amo-te alma de minha alma, minha vida.
 
Sandra Wajman Grüner
Sandra Wajman Gruner
Enviado por Sandra Wajman Gruner em 18/04/2006
Código do texto: T140868
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sandra Wajman Gruner
São Paulo - São Paulo - Brasil, 54 anos
116 textos (7134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 06:19)