Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O GATO DE MINAS

Este fato ocorrera numa quinta-feira da semana santa.
O tempo estava bom e o dia lentamente fora engolido pelo entardecer, que, posteriormente fora engolido pela noite fria e calma de Belo Horizonte, Minas Gerais.
O homem, um respeitável senhor de meia-idade, tomara seu banho, bebera um copo de chá de erva cidreira e fora entregar-se nos braços de Morfeu. A noite já ia alta. As aves noturnas faiscavam o céu em vôos acrobáticos e solitários. Corujas piavam na cumunheira de alguma casa das cercanias do bairro e adjacências.
Lá pelas tantas da madrugada o homem fora acordado por um miado assim: ga-a-lô, ga-a-lô, ga-a-lô. Ele olhou para o relógio de cabeceira da cama e viu que eram 04:00 horas da matina. Ele estendera a mão e pegara seus óculos para enxergar melhor as horas, e, realmente eram 04:00 horas. O miado continuara: ga-a-lô, ga-a-lô, ga-a-lô. Então o cidadão levantara-se devagar, fora até a janela e na garagem vira um gato pintado de preto e branco. Ele balbuciara: bi-cha-no... bi-cha-no... mas o felino escafedera-se passando por entre as grades do muro do terreiro e ganhando a rua.
Amanheceu. O sol brilhava intensamente no céu. O homem então fora até a padaria onde comprara pão e guloseimas para os filhos. Então ele comentara o ocorrido com o balconista, que comentara com a caixa, que comentara com o dono do estabelecimento.
Mais uma vez anoitecera na cidade. A rotina da noite se fizera presente: o banho, o jantar, o prosear na varanda, a ceia das 22:00 horas e depois o dormir de todos da casa.
No céu, sob a luz das estrelas, propagavam os pirilampos e as aves noturnas outra vez mais bailavam com desenvoltura peculiar na amplidão. Já passava da meia noite, e, o deus do sono cuidava do ambiente naquela casa mineira e tradicional.
Novamente surgiu o miado: ze-i-rô, ze-i-rô, ze-i-rô... rompendo a madrugada de sexta-feira da paixão. O miado continuara por um tempo, acordando a dona da casa, uma senhora esbelta, porém cinqüentona. Ela olhara para o relógio de cabeceira da cama e eram 05:00 horas da manhã. Ela, ainda no leito, escutara o miado: ze-i-rô, ze-i-rô, ze-i-rô... Então a madama se levantara, fora até a janela do quarto e acendera a luz, indo até a janela da garagem vendo o bichano miador pintado nas cores azul e branca com uma estrela amarela na testa. Ela aquietara-se num canto da janela e estalando os dedos chamara baixinho: bi-cha-nô... Bi-cha-nô... Bi-cha-nô... Mas o gato, esperto como ele só, embrenhara-se pelos arbustos do terreiro afastando-se da garagem e do local.
Amanhecido o dia, todos tomados café, já na varanda da casa a mulher comentara o fato com o marido, que estranhara  saber que o gato tinha novas cores.
Depois da prosa matinal o homem fora até a padaria, onde mais uma vez comentara com os presentes o fato do gato colorido estar passeando na sua garagem de madrugada.
Então, para solucionar o mistério, o português dono da padaria dissera ao cidadão que havia descoberto todo o segredo: o gato pertencia a um juiz de direito aposentado que morava na rua Bom Jesus, naquele bairro, tendo ele adquirido o gato siamês de um coronel reformado morador da mesma rua. Na casa do juiz morava, também, seu filho caçula, e, quanto às cores do gato era porque o juiz era atleticano e o filho era cruzeirense, e, por sua vez e por seu turno cada qual pintava o bichano nas cores do seu time do coração, dia sim, dia não...
E, para finalizar, diga-se ¨en passant¨ que, o bichano de Minas namorava a gatinha kiki, moradora do número 383, da Rua João Caetano, agora, se o felino era ensinado ou não deixo por conta do prezado(a) leitor(a).
Um abraço.
Felicidades!  
Limagolf
Enviado por Limagolf em 20/04/2006
Reeditado em 06/07/2006
Código do texto: T142192
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Limagolf
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 64 anos
180 textos (19795 leituras)
2 e-livros (254 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:45)
Limagolf