Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMOR DIFERENTE/ X X V I I

ATENÇÃO: SE VOCÊ TIVER ALGUM PRECONCEITO, NÃO LEIA

       

    Estava para acontecer uma festa e Ricardo queria muito ir com o Rangel, Rangel não estava achando seguro, Ricardo sabia pedir com jeito e ele não sabia dizer não, Ricardo sabia que seria impossível alguém achar duas pessoas no meio de duas milhões, então estavam decidido  seria a primeira vez depois de tanto tempo juntos que eles saiam na cidade em São Paulo para uma festa aberta ao publico.
       Foi chegando o grande dia Rangel não estava muito afim mas para fazer os gostos de Ricardo acabou indo, chegando lá parecia que em meio tanta gente Ricardo só enxergava Rangel parecia que ele era a pessoa mais linda entre tantas, seus olhos brilhavam era como se eles fossem feitos para se amar, se divertiram muito Rangel já estava sem medo pois não havia nada de mais dois amigos diante da sociedade se divertirem juntos, depois eles decidiram voltar para casa, Ricardo queria voltar com Rangel pois fazia tempo que eles não ficavam juntinhos como antes no inicio, Rangel tinha medo de tudo achava muito arriscado mais também sentia falta de ficar com seu namorado na intimidade e na privacidade de seu quarto.
    Assim fizeram foram os dois para casa, aquele dia estava muito bonito e diferente Ricardo muito feliz, Rangel ao seu lado seria tudo que os dois sempre quis, chegaram em casa foram comentar sobre a festa, depois comeram algo e foram para o quarto, ali o mundo só existia dentro daquele quarto, e mais nada além daqueles dois.
     Entre beijos e abraços Ricardo foi despindo o Rangel, sua pele queimava de desejos, cada beijo que Ricardo dava em seu corpo vinha a tona uma onda de desejos de sentimentos parecia um vulcão em chamas, Ricardo adorava o toque das mãos do Rangel em seu rosto o seu jeito romântico de fazer carinhos, ele se sentia um Deus, era muito amor para dois corações, como evitar ou negar tudo aquilo, mesmo que o mundo conspirasse contra aquele amor era capaz de superar qualquer obstáculo, e assim os dois fizeram um amor muito gostoso entre eles, de uma forma verdadeira e prazerosa.
       Ficaram deitados nus um sobre o corpo do outro depois do prazer, curtindo aquele momento que era só deles e que o mundo era muito sujo e injusto para compartilhar junto com eles tudo aquilo,Ricardo fazendo carinhos no rosto de Rangel que lhe beijava sem parar, maia uma vez tocou a música que Rangel gostava, então o silencio foi dominado tudo apenas se ouvia a canção e o ruído dos beijos trocados entre eles.
        Foi um dia inesquecível e com certeza seria, pois só quem nunca amou ou foi amado de verdade para ser contra um sentimento tão bonito, só quem nunca sentiu ser levado pela força de um amor ao céu do prazer e ao inferno da saudade da ausência,eles começaram a conversar depois da musica sobre a ida deles para outra cidade, pois já estava ficando tudo acertado, um amigo deles lá de Belo Horizonte já estava vendo uma casa para os dois, agora estava sendo apenas contar os dias, pois mesmo com tantos riscos tudo estava caminhando bem.
       Já estava na hora de Ricardo pegar o caminho de volta para sua casa, já era um pouco tarde eles sabiam que depois poderiam viver aquele momento que estavam vivendo muitas vezes, e sem preocupação de ir embora e de horários, Rangel estava muito feliz  seu dia tinha sido maravilhoso, saíram do quarto e foram preparar um lanche estavam com muita fome, Ricardo quem gostava de preparar os lanches que eles comiam enquanto isso Rangel sempre agarrando ele por trás e lhe dando beijos no pescoço as vezes nem preparavam os lanches direito com as brincadeiras, mas depois de terem comido e matado um pouco a fome o interfone tocou, era o Mauro que estava subindo para visitar o Rangel, Ricardo  fez uma cara de quem não gostou mas tinha que ir embora.
         Mauro entrou cumprimentou Ricardo e ficou tomando um vinho e puxando papo, conversaram um pouco, pois o Ricardo estava com muita pressa, depois o Ricardo falou que tinha que ir embora e Rangel já estava preocupado com o horário, Rangel se despediu de Ricardo com um abraço muito forte, estava muito feliz mas uma lagrima rolou dos seus olhos, ele nem soube explicar porque, Ricardo deu-lhe um beijo  falou que  daria um jeito de ligar para ele assim que ele chegasse em casa, Rangel  não acompanhou ele até o carro apenas desceu até o portão, pois o Mauro ainda estava lá e ele tinha que fazer sala para ele, assim no portão o Ricardo mais uma vez deu um aperto de mão em Rangel, que ficou esperando ele sair com o carro, e quando ele passou em frente o portão com o carro, Ricardo jogou um beijo e fez gestos que ele esperasse a ligação, Rangel acenou com  a mão e entrou.
    Rangel não estava se sentindo muito bem, um aperto no seu coração estava se sufocando assim que ele entrou em casa, até o desligado do Mauro percebeu, e perguntou o que ele estava sentindo mas ele negou falando que estava tudo bem, mas o tempo foi passando e Rangel calado e o Mauro puxando papo fazendo perguntas e ele apenas respondia sem muito interesse na conversa, depois o Mauro voltou a perguntar, então ele desabou em prantos dizendo que não, que estava sentindo uma coisa muito ruim por dentro como se sua alma estivesse sendo cortada com uma lâmina fria, como se algo estivesse esmagando seu coração e ele não sabia explicar,Mauro tentou convencer Rangel que apenas poderia ser um pré sentimento, que não seria nada que logo passaria, mas o Rangel não estava nada bem e dava para perceber, o Mauro perguntou se ele queria ir até um hospital mais ele falou que o que estava sentindo não era coisa de hospital.
      Rangel começou a mudar de cor a ficar tremendo e Mauro foi preparar um chá para ver se ele melhorava, depois Rangel tomou e estava um pouco aliviado, mais os sintomas continuava, ele sentia que algo estava para acontecer, o medo dele era que fosse entre ele e o Ricardo, ele sentia por dentro que sim mais não queria acreditar.
     Assim que o Ricardo saiu da casa de Rangel o mesmo carro de antes começou a seguir ele, mas desta vez ele não tinha percebido, ele então parou em um posto para abastecer na esquina da rua de Rangel, e comprar uma água, estava distraído quando seu pai puxou ele elo braço e pediu que ele entregasse a chave do carro, Ricardo ficou todo desconcertado percebeu que alguma coisa muito estranha estava acontecendo.
     
         

Brione/Parte/27

BRIONE CAPRI
Enviado por BRIONE CAPRI em 28/04/2006
Código do texto: T146830
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BRIONE CAPRI
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 32 anos
1428 textos (66606 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:43)
BRIONE CAPRI