Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
SÓ TREZE LETRAS !!!


O estádio totalmente lotado e milhões de pessoas no mundo todo estão literalmente sintonizadas, magnetizadas, pela importância deste momento.
O artilheiro ajeita a bola na marca de pênalti, o goleiro se agiganta e a distância entre as duas traves parece instransponível, o suor frio lhes encharca o corpo, as camisas dançam no ritmo frenético do embalo dos acelerados corações.

Converter ou defender este pênalti aos quarenta e quatro minutos do segundo tempo é muito mais do que simplesmente ganhar a Copa do Mundo, eles estão a um chute do paraíso, ou do inferno, o goleiro é a pedra no meio do caminho.

Ambos aprenderam nas preleções de seus treinadores, que a programação do destino está sempre ao nosso alcance e que sempre existe chance no percurso da jornada, que por mais longa e árdua que seja, começa sempre com a magia do primeiro passo.

Sabem que apesar de sermos todos personagens da nossa própria novela, e passageiros do trem do destino a caminho da certeza do incerto, mesmo assim, temos o imenso poder e o inevitável dever de rever os paradigmas! Se não soubermos nadar o trampolim é um problema, mas todo problema é um trampolim que nos remete à solução, e é lá no fundo do peito, é lá, de dentro pra fora, que cada um do seu jeito e de maneira especial tem o poder infinito para transformar o problema na mola que impulsiona o salto ornamental!

O artilheiro caminha pelo gramado verde esperança sem saber se a galera grita alucinada ou se tudo é um silêncio sepulcral. Toma distância para detonar a bomba que poderá explodir o estádio, e muitos corações. Suas pernas pesam toneladas, a sua perplexidade dança feito equilibrista no fio da navalha de uma corda bamba.
 
O momento é sedutor, enigmático, só os protagonistas sabem da magia deste instante culminante de angustiante solidão, adrenalina a flor da pele, a decisão depende literalmente dos pés do artilheiro ou das mãos do goleiro.

Raríssimas vezes, as traves roubam a cena principal ou a bola vai para fora, azar e sorte se confundem, é pura questão de ponto de vista. Os olhos do goleiro fixos na bola, adivinhar a sua trajetória vai fazer a diferença, ele afiou a sua ferramenta mental, visualizou o resultado, antecipou o momento, está no pleno controle da sua vontade soberana.

O artilheiro sabe de tudo isso, e sabe também que só um deles vai entrar para a história, ele se prepara e canaliza toda a sua energia para acionar o petardo, No forro da chuteira ele tem bem guardada uma medalha do seu santo protetor, no peito, a fé e a certeza absoluta de que vai fazer o gol!

O goleiro mentaliza a espetacular defesa, na luva da mão esquerda traz bordada uma estrela de sete pontas, a superstição faz parte integrante do futebol! Autorizada a cobrança! Mandinga não ganha jogo, mas caldo de galinha e cautela...!

Brasil Campeão tem Só treze letras! Mas, Guenta Coração, também!


Antonio Carlos de Paula
Poeta e Compositor
www.antoniocarlosdepaula.com
AC de Paula
Enviado por AC de Paula em 31/05/2006
Reeditado em 09/01/2010
Código do texto: T166818
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
AC de Paula
São Paulo - São Paulo - Brasil
1163 textos (114733 leituras)
226 áudios (20101 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 05:49)
AC de Paula