Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 A Ternura de Ariane 

Julio e Clara estavam vivenciando uma intensa alegria! Depois de três anos de feliz união, finalmente, veio à luz uma linda menina!

Já haviam feito uma lista de nomes para menino, se fosse o caso, e para menina... Correram os olhos na lista de nomes femininos e, numa ânsia tão grande de escolherem aquele que adornasse a bela criaturinha, decidiram juntos, que lhe dariam o nome de Ariane.

Aninhada nos braços daqueles que a conduziriam, encaminhando-a com muito desvelo e amor, Ariane, era uma meiga princesinha que a todos encantava!

Então, envolta em ternos cuidados, afagos e muito amor, a linda menina se desenvolvia saudável e vivaz, para grande alegria da família.

Os anos passaram... E o casal não teve mais filhos, pois, a saúde de Clara tornara-se bastante preocupante... Desta feita, a dócil Ariane, agora uma bela mocinha, era a luz dos olhos dos seus afetuosos pais.

Completara o segundo grau com muito brilho e preparava-se para a faculdade. Pretendia cursar Engenharia, como seu pai, que era o seu grande ídolo!

- Minha filha, você tem certeza que quer mesmo ser Engenheira ou é, tão somente, para agradar-me?

- Papai, sabe que vou agradá-lo cursando Engenharia... Mas, não é só por isso... Quero, de verdade, ser como você, um admirável Engenheiro!

Julio, não cabia em si de contentamento e tranqüilizava a esposa, que temerosa, por estar adoentada, preocupava-se com o futuro da filha amada.

Além de estar se preparando para o vestibular, Ariane também se perdia em leituras, que nutriam o seu tão rico interior. Toda tarde, depois de se dedicar às suas lições, apanhava um dos muitos livros que, seu pai ao adquiri-los, escolhia com muito esmero.

Sentava, então, na enorme varanda que circundava a casa, orlada de lindo jardim, contornado pelos raios luminosos do sol. As belas plantas ornamentais cultivadas, sempre foram cuidadas por sua mãe e ela, depois do trabalho ocasional do jardineiro contratado. Momentos, pois, que as duas desfrutavam juntas, com muito zelo e carinho.

As leituras que Ariane tanto amava, proporcionava-lhe conhecimento e prazer. Através delas, transportava-se para lugares do mundo exterior, do qual nada ainda conhecia... Extasiava-se ao penetrar nos livros, junto com as personagens... O seu universo foi tornando-se rico à medida que ia se instruindo e adquirindo cultura. A sua agudez acentuava-se, fosse em relação aos seus estudos ou a alguma de suas leituras.

Os anos transcorriam e Clara, ficava cada vez mais abatida com a sua moléstia. Pai e filha sentiam-se tristes, não deixando, no entanto, transparecer suas preocupações na frente da mãe. E desmanchavam-se em cuidados e carinhos.

Contudo, quando Ariane acabara de adentrar na faculdade para concluir seus estudos, Clara, apesar de toda a assistência médica e desvelo dos familiares, veio a expirar... A consternação foi enorme... Pai e filha não assimilavam a grande perda. Entrara em suas almas uma intensa tristeza...

A partida de Clara, deixara, no lar, um grande e profundo vazio que, nada mais parecia igual sem a presença da mãe tão amada. Mas, o tempo... - um bálsamo para todos os males - tornou a dor mais amena. A lembrança de Clara continuava sempre entre eles, mas era uma presença sutil e agradável, trazida pela recordação de tantos momentos felizes que viveram juntos!...

Ariane já cursava o último grau de Engenharia. No final daquele ano, a sua meritória colação seria glorificada com uma linda festa de formatura! Ansiava por esse dia... Como iria se desenrolar?... – preocupava-se ela - nunca participara de uma festa tão badalada!... Às vezes, apresentava-se em alguns aniversários de amigas, mas eram festas bem simples, sem nenhuma pompa... Sua formatura, todavia, sabia, seria diferente, coroada com um grande baile... Seu pai seria seu padrinho, claro! E para isso, ambos se preparavam com algumas lições de dança em casa, inclusive a valsa! Seria maravilhoso!... - Pena mamãe não estar aqui – sentia com muita mágoa...

O grande dia chegou! Ariane, pela primeira vez, trajaria um belo vestido longo, que mandara confeccionar, especialmente para a ocasião. Estava nervosa... Afinal, seria a primeira vez que freqüentaria um salão de gala!... Dançaria a valsa com o pai, mas, como já haviam conversado, Julio lhe dissera que depois da primeira dança, alguém, que naturalmente se encantaria com a sua beleza, poderia vir tirá-la para dançar...

Quando lhe falava sobre isso, a doce e perspicaz filha, havia percebido um vislumbre de ciúme nos olhinhos do pai, tão coruja!...

- Pode ficar bastante tranqüilo, papai – disse-lhe - não vou deixá-lo sozinho!

- Ariane, filha querida, a festa é sua, e gentilmente, dará o prazer da sua companhia a todos, principalmente, se a solicitarem para uma dança...

- Sim, papai, mas não precisa ficar preocupado, ninguém me roubará de você!... Se um dia aparecer alguém em minha vida, no meu coração, haverá um lugar para ele, sem, contudo, tomar o seu! E, se o meu carinho para com você, tiver que ser sacrificado por causa desse outro alguém, até posso sofrer, mas nada fará com que me afaste do meu melhor e maior amigo que é você, papai!

Julio, disfarçando sua emoção, retrucou:

- Ah, filha tão querida, a vida segue o seu curso normal... Se aparecer uma pessoa muito especial, procurando conquistá-la e merecer o seu amor, vou ficar feliz, embora um tanto enciumado... Mas, eu a conheço e sei que dentro deste doce coraçãozinho, sempre existirá um lugar para seu velho e amigo pai!... No entanto, o tempo passa... Um dia partirei também e, não quero sabê-la sozinha, mas com uma família sua... - que a completará e será o seu alento!

- Papai, não fale dessas coisas agora, está bem? Vamos nos vestir para o delicioso e festivo momento!...

- Sim filhinha, vamos lá!...

Ariane seguiu para o seu quarto para se preparar... Sentia-se feliz e ansiosa ao mesmo tempo... Mas, estaria com seu pai e se sabia mais segura assim...

Quando descia as escadas, avistou Julio que...

- Filha, como você está linda! Acho que não vou mais acompanhá-la... Pois, terei muito trabalho para protegê-la dos rapazes...

- Ah, papai, deixe de gracejar! Você está maravilhoso! E estou ficando enciumada também!...

Os dois, de mãos dadas, saíram bastante felizes e mais descontraídos para o importante e jubiloso evento!...

©Daura Brasil  
São Paulo - 2006

Imagem: Hide-n-Seek by Harrison Rucker

Daura Brasil
Enviado por Daura Brasil em 03/06/2006
Reeditado em 04/11/2009
Código do texto: T168847
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Daura Brasil
São Paulo - São Paulo - Brasil
164 textos (18560 leituras)
23 áudios (3330 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:07)
Daura Brasil