Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sapiência adquirida...

Escrevo esta carta pra Alguém,
que jamais poderá vir a ler.
Por vezes o vazio consome meu ser,
acreditava que com o tempo, pouco pensava eu,
tudo seria resolvido... Ou pelo menos amenizado...
Dediquei me ao trabalho como fulga, penso, mas
o que reverteu-se por um lado em crescimento e satisfação
profissional, mas quando a casa chegava a noite consumia
meu ser... Podendo por vezes passar noites em claro a buscar explicações para justificar factos já concisos por natureza a torcer para que o outro dia viesse e novamente pudesse ter e ou sentir pessoas... Fazer com que meu tempo fosse preenchido de alguma forma...
Como pode uma promessa de vida,
apenas falada, esvaziar tanto uma pessoa madura e tirar-lhe os sonhos, como se tivesse convivido anos e anos,
partilhando o mesmo espaço, dividindo momentos bons e ruins.
Como pode os dias todos, terem se transformado nesse imenso vazio...
Já digitei o número do teu telefone, umas mil vezes e sem coragem de te ouvir, desliguei antes de completar a ligação.
Acho que já passou muito tempo, esgotou o prazo de te buscar, mas também para que se no meu modo de pensar sempre acreditei que quando realmente queremos uma coisa, vamos a luta, sempre fez parte do meu lema de vida, e dava me imenso gozo, mas neste caso somente eu queria, acovardei-me no silêncio e até então não tinha sentido me recuperada...
Foram necessárias muitas reflexões, leitura, conversas, troca de ideias e experiências, auscultar pessoas, aprender a crescer, a vida é assim... um aprendizado continuo de coisa boas e menos boas...
Mas actualmente questiono-me...
Fiquei demasiado exigente...
Mas decepccionar, em determinado ponto da vida...isto de certeza que mais hora menos hora vai acontecer... Por pequeno que seja...
Sendo assim acabamos por concluir que devemos é controlar as emoções inerentes a estes sentimentos e viver...
Cada pedacinho que a vida oferece-nos...
Com qualidade...
Porque é muito bom...
Estar com alguém... Estar mesmo valorizar aqueles pormenores:
Um sms...
Um amo te
Um telefonema, a dizer "estava a pensar em ti"
Uma carta de amor, de nos provocar emoções avassaladoras...
Um passeio de mãos dadas...
Um beijo "roubado"...
Um colinho...
Um cafuné...
Um banho de banheira a dois...
Espetáculo... Não vou perder meu tempo a pensar que o tempo ameniza, vou lutar para tê-los, vislumbrá-los...
e também proporcionar ao outro a reciprocidade dos factos, actos e acções...
Podendo assim escrever um lindo capítulo de amor...
E neste instante tenho minha maturidade demasiada aguçada
a desejar que os amores da minha vida tenhas a percepcção
que foram especiais na construção do capitulo de nossas vidas que em um dado tempo cruzaram se para caracterizar um  mundo, um alguém...
E se por ventura onde andares e leres-me,
saiba que deste-me o melhor dos sonhos em um dado momento feliz, proporcionando em contrapartida, uma lembrança transformou meus dias, me fez crescer, conhecer, e principelmente VIVER, aprendendo a aprender...
Carolzita
Enviado por Carolzita em 04/07/2006
Código do texto: T187598

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Caroline Silva). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carolzita
Portugal, 42 anos
453 textos (61652 leituras)
5 e-livros (749 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:34)
Carolzita