Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

do punk à poesia....

Do punk à poesia. Assim viveu intensamente um rapaz chamado Eduardo.  Cresceu em um mundo complicado, aonde passou a enxergar as coisas de uma maneira diferente. Seu coração e sua alma queimavam como fogo em meio a tantas tristezas e desilusões que a vida lhe proporcionava, desta maneira transformou-se em uma pessoa diferente de todas as outras, e passou a ter sua própria crença e seus próprios conceitos sobre a vida. Era um jovem rebelde, nas suas veias corriam os sangues da ira e da revolta, suas músicas expressavam seu descontentamento para com seu mundo e com as pessoas que o cercavam.
Quando não estava bem fugia para seu mundo imaginário, se entorpecendo de besteiras e falsas felicidades, mas apesar disto sentia as doses do amor correndo pelas suas veias e  despertando dias de paz interna. Sua ira e revolta transformavam-se em palavras doces, e tentava disfarçar sua dor e encontrar explicações para tanto sofrimento.
Do punk à poesia ele seguia sua vida, entre quatro paredes frias, com sensações mórbidas e noites em claro. Escondia-se de todos para chorar, mas não conseguia esconder seus sentimentos, assim, todos a sua volta já podiam perceber para onde sua vida se encaminhava. Quando admirava sua face no espelho via a própria morte e podia perceber que a cada dia o fogo que alimentava a caldeira de seu coração se apagava.
Certa noite Eduardo deitou em sua cama com seus olhos úmidos, ele olhava para o teto do quarto e podia sentir a presença de anjos, até que fechou seus olhos para então dormir.Quando abriu novamente seus olhos despertou como se tivesse acordado de um sonho, mas aquilo já não era fruto de sua imaginação. Ele estava de joelhos e com uma sensação de culpa e arrependimento. Um belo homem veio em sua direção estendendo a mão e oferecendo seu amor. Ás lágrimas de Eduardo caiam sobre a mão do bom e belo homem, enquanto beijava-lhe a mão e pedia perdão.
O bom homem então entendeu sua dor, e fez com que ele soubesse que nunca esteve sozinho, que mesmo tendo passado noites em solidão aquele homem estava ao seu lado sofrendo também. Somente depois de acabar com sua própria vida e encontrar o reino dos céus Eduardo pode entender o que se passava com ele.
Era o fim de um ciclo de alegrias imaginárias e de tristezas, do punk a poesia caminhou e sobreviveu até escolher seu destino, a morte!
Marcelo Biolchi
Enviado por Marcelo Biolchi em 27/08/2006
Reeditado em 31/08/2006
Código do texto: T226634
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcelo Biolchi
Concórdia - Santa Catarina - Brasil, 33 anos
35 textos (4594 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:03)
Marcelo Biolchi