Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O TERÇO

Coisas inexplicáveis acontecem, podem ter certeza disso, pois aconteceu comigo no ano de 1978. Saí bem cedo para o trabalho e no final do expediente fui direto para a Faculdade retornando à minha casa por volta das 23,30 horas. Guardei o carro na garagem, entrei em casa e subi a escada indo para o meu quarto, localizado no segundo pavimento.  Minha avó, meus irmãos e meus pais já se encontravam dormindo e quando ia me deitar, minha mãe que ainda  se encontrava acordada veio falar comigo a respeito do meu terço da primeira comunhão.
_ Minha filha, encontrei o seu terço da primeira comunhão. Vê se você reza, quem sabe melhora a sua vida.
Minha mãe se referia dessa forma por achar estar passando por um período ruim, pois meu ex-noivo tinha terminado comigo´. Até ai, nada ver, porém terminou comigo num dia e no outro parava o carro em frente ao meu serviço com outra. Imediatamente, respondi:
_ Mãe, eu tô cansada, amanhã eu rezo tá bom.
Minha mãe juntou o terço colocou em cima de um malão de madeira enorme,  dizendo:
_ Tá bom minha filha, mas não deixe de rezar. Isso vai te proteger. E despediu dando-me um beijo e boa noite.
Naquela época, eu dormia no quarto sozinha e por ser a casa muito grande, desde que mudei prá lá trancava a porta por dentro à chave, a qual tinha um chaveiro com uma bola de ferro pintada de aluminio (modelo da época). Bem dormi como um anjo. Às 6,30hs levantei pois tinha que  ir trabalhar. Abri a porta e minha mãe já se encontrava acordada e veio falar comigo. Durante a conversa, cujo assunto não me lembro, ela olhou para o terço em cima do malão e me disse:
_ Minha filha! Que bom que você rezou?
_ Não mãe, eu dormi estava muito cansada.
Ao olhar para o terço, o mesmo não estava como minha mãe havia colocado, ou seja, estava todo aberto, como se formasse o mapa do Brasil e abaixo o crucifixo. Minha mãe pegou o terço e quando  o levantou, estava partido somente nas pedras onde se reza os mistérios. Nesse exato momento minha avó sem saber o que conversavamos, chegou dizendo:
_ O que aconteceu dentro do seu quarto esta noite, era tanto barulho e você dava gargalhadas? Bati na porta e te chamei várias vezes e depois ficou tudo quieto.
_ Eu não sei, não ouvi nada e dormi o tempo todo.
Minha mãe então retrucou:
_ Eu não disse minha filha que você precisa rezar?
Não sei o que ocorreu naquele dia, a única coisa que sei é que o terço se encontra até hoje guardado da forma que minha mãe o pegou em cima daquele malão, isto é, repartido nos 5 mistérios. Por outro lado, jamais faria tal coisa, questão de princípios,  principalmente dormindo, poia minha mente nunca foi tão poderosa assim.  Fico pensando, o porquê,  àquela hora da noite, minha mãe vir me entregar o terço, realmente estava precisando de proteção? Sempre estamos, pois os mistérios existem.
maria do carmo alves marques de castro
Enviado por maria do carmo alves marques de castro em 23/11/2010
Código do texto: T2633236
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (mcarmo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maria do carmo alves marques de castro
Volta Redonda - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
85 textos (3181 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/11/14 16:46)
maria do carmo alves marques de castro



Rádio Poética