Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Coisas que você não fez


Quando eu era adolescente, antes de haver internet e estas coisas todas, eu costumava ler muito um texto chamado “Coisas que você não fez”. Este texto falava sobre as trapalhadas de uma namorada e cujo namorado, apesar de tudo, não deixava de amá-la. Pois é.
No meu caso, mais especificamente, você também não fez muitas coisas. Aliás, você não fez NADA. NADA! Mas eu, talvez por causa deste otimismo que felizmente me acompanha, achei que um dia você iria tomar uma atitude. Atitude de homem, para ser mais específica. E assim fiquei eu – a trouxa – esperando longos meses que você se decidisse a dar um passo além de onde comodamente você está. Eu insisti. Lancei diretas e indiretas. Bradei o número do meu celular bem alto para que você escutasse e num lance de grande ousadia, depois você me ligasse. Fui a palhaça total durante mais de seis meses. Cheguei a conclusão, após estes mesmos seis meses que perdi meu tempo achando que um dia você iria fazer algo mais do que ficar flertando comigo. Não, meu querido. Apenas flerte não me basta mais.
Sabe por quê? Porque eu não sou mais uma menininha. Já passei dos trinta, portanto sou uma mulher adulta e sei o que eu quero. E eu queria você. Queria muito, ouviu, seu babaca? Queria tanto que pouco me importava de onde você vinha, o que fazia ou a cor dos seus olhos. Trocaria qualquer coisa para ficar com você. Você sabia disto. Então por que fugiu?
Será que sou demais para você? Se você acha isto, então pode ficar no lugar que você está. Pois fique sabendo, as mulheres do século 21 querem homens de verdade, de fibra, com atitude. Que lutem ao nosso lado e sim, vocês podem chorar também, porque não esperamos que nenhum super homem vá entrar pela nossa janela. Mas atitude, meu amor, é tudo. Atitude é coisa que você não tem.
Portanto, depois de seis meses que passei sonhando com um convite seu, com um beijo seu e com seu corpo em cima do meu, finalmente acordei deste sonho e caí da cama. Com o choque que levei, me dei conta que realmente você e uma ameba não diferem muito. Cansei de lhe esperar. Estou exausta com todas as suas fugas, com seus olhares que dizem tudo e com sua boca que não me diz nada. Finalizando, quero dizer que minha paciência, meu tesão, minha vontade, enfim, tudo aquilo que eu sentia de bom por você, se evaporou. Nem do teu sorriso lindo eu sinto mais falta. É uma pena. De verdade, eu queria um final bem feliz para nós dois. Eu quis. Você não.
Patrícia da Fonseca
Enviado por Patrícia da Fonseca em 22/10/2006
Código do texto: T270628
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Patrícia da Fonseca
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 46 anos
573 textos (37914 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 07:34)
Patrícia da Fonseca