Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
                    MARIA DE FORNO E FOGÃO

Maria começou a trabalhar muito cedo.Talvez cedo demais.
A boneca de pano ficou de lado...
Maria não brincava de fazer "comidinha". Ajudava a fazer comida de verdade.Maria nasceu numa pequena vila situada no sertão nordestino e passou quase  toda infância junto ao fogão de lenha.
- Minha filha,quando crescer,será uma "cozinheira de mão cheia" dizia a mãe dela com orgulho...
Maria tinha seis irmãos,todos muito bons no roçado.Plantavam o que podiam e colhiam muito pouco.A única herança que o pai lhes deixou foi aquele pedacinho de terra que significava toda uma história de lágrima,suor e sangue.
Não podiam sair do lugar.O que uma mulher que sempre viveu na roça iria fazer numa cidade grande com sete filhos menores?
O melhor era continuar morando no sertão.Deus haveria de ajudá-los.O importante era sobreviver apesar da seca.O importante era matar a fome.
Dona Jurema rezava todos os dias...Estava sempre pedindo a Santo Antonio que Maria tivesse um bom casamento.Talvez com um fazendeiro...Quem sabe?
O tempo passava e Maria crescia,apesar da seca e da fome.O fantasma da morte não quis levar Maria,preferiu três de seus irmãos.
Então Maria ficou moça...Fez quinze anos e ouviu muita gente dizer que já era tempo de se casar.
O corpo de Maria começou a despertar o interesse dos homens.
Junto à boca do fogão de lenha,fugia da boca dos homens.
Maria não podia mais tomar banho de rio como antes.Os homens a perseguiam com seus olhares de fogo.Maria ficava assustada,pareciam diferentes,ela tinha medo.
Um dia ouviu uma conversa sobre as riquezas de uma cidade grande e ficou pensando na mãe doente e nos irmãos famintos...
A fome e a seca ainda continuava rondando a casa,precisava fazer alguma coisa.
- Ah! Se pudesse trabalhar no Rio de Janeiro ganharia muito dinheiro e depois mandaria buscar a mãe e os irmãos.Diria adeus à fome e à seca e ao fogão de lenha.
Maria tomou coragem e chamou Dona Jurema:
- Mãe quero ir para o Rio de Janeiro!..
Dona Jurema,surpresa,respondeu:
- Onde você foi buscar esse pensamento doido?..
Os dias passavam e Maria não desistia da idéia.
- Olha aí,quem vai querer uma jovem morena com 15 anos,os dentes  perfeitos,e sem vícios acostumada ao trabalho na roça e no fogão de lenha?
- Aproveite Madame. A oferta é boa.
- Eis mais uma moça do sertão nordestino que deseja trabalhar na cidade grande!
Não demorou muito e Maria acabou vindo para o Rio de Janeiro.
Chegou sem saber ler e escrever e sem documento.Veio sem perfume e batom e até mesmo sem absorvente.
Maria nunca foi à escola.Não sabia o que era vaidade.Andava de pés descalços lá no sertão.
Maria ficava menstruada e tinha medo.Coitada! Desconhecia muita coisa...
Hoje,depois de dois anos como empregada doméstica em Copacabana,aprendeu a escrever o nome.
Cozinha  no fogão a gás,atende ao telefone e dá recado direitinho.
Faz até compras no supermercado...
Maria não é mais a mesma.Perdeu a virgindade com o filho da patroa e fez dois abortos.Usa pílula,veste mini-saia,usa maquilagem,etc...
Fala até palavrão...
No carnaval sai no Bloco das Cocotas e rebola tanto que já foi convidada para desfilar pela Escola de Samba Levanta Poeira.
- Maria!..Maria!..
- Venha aqui "mainha" que estou arretado.Diz Totonho,servente de obra invocado e namorado de Maria.
E lá vai Maria sorrindo gozar com seu amado no quarto emprestado.
Maria de forno e fogão!..
Boa de cozinha e de cama.
- Oi!..Maria!..
-Olá,Rosinha!..
- Maria ,você vai se inscrever na alfabetização?
- Não sei. Vou falar com minha patroa.O Doutor Ricardo chega para jantar às 19 horas e às vezes até mais tarde.Que horas começam as aulas? Será que dá tempo?Será que Dona Yolanda vai deixar?..Ah!...Rosinha! Já ia me esquecendo...Eu queria que você escrevesse uma carta para minha mãe.Diga que está tudo bem e que estou com saudades.Manda um beijo pra ela e meus irmãos.Assim que puder mandarei algum dinheiro.Bota no correio, tá?
Dona Jurema, distante não sabe de nada.A cidade maravilhosa iludiu Maria.As pessoas civilizadas da cidade só lhe causaram decepção.
Maria foi enganada.Tiraram proveitos de sua ingenuidade.
Maria de forno e fogão!..
Maria "mainha" !
Violentaram seu sonho.
Violentaram seu corpo.
Coitada ainda hoje é explorada...
Lava a roupa,a louça,o chão e faz "quitutes" para encher a "pança" da burguesia descarada.
Maria é consumida.
Mas,apesar de tudo,ainda conserva aquele sorriso de criança.
Na noite de folga ela vai ao forró e esquece os desenganos.
Muita gente pensa que ela é feliz.
Maria de forno e fogão!..
Maria da folia!..
Que tal mais uma dança na "dança da vida" ?
Mais um copo de cerveja?..Uma "caipirinha" ?..
Vamos Maria!.. Dance!.. Sorria!.. Cante!..
Amanhã é outro dia...
Êpa baile danado!.. Sarro gostoso!..
- Tudo bem Maria?
-Tudo ótimo.
Maria tem vergonha de dizer a verdade.A mãe dela está muito doente e os irmãos estão passando necessidade.
A seca e a fome continuam rondando a casa de seus entes queridos no sertão.E eles aguardam ansiosos a volta de Maria para tirá-los da miséria.E aqui Maria também sofre sem meios para ajudá-los.Vive pensando em voltar...
Mas o que adiantaria viajar sem dinheiro? E quando alguém perguntar o que ela fez da vida durante todo esse tempo? O que ela ganhou vindo para a cidade grande?
Maria de forno e fogão!..
Maria do sofrer!..
- Totonho,que horas são?
- São quatro horas da manhã.
- Me dá um cigarro...
- Tome,"mainha" .
- Totonho,me responda com sinceridade: você me acha bonita?
- Eu acho você linda.
- Ah!.. Que bom ouvir esse elogio! Eu tenho um grande sonho...
- E que sonho é esse,Maria?
- Eu queria ser artista de televisão...


Gladston Salles
Enviado por Gladston Salles em 08/09/2005
Reeditado em 11/11/2005
Código do texto: T48688
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link gladstonsalles.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Gladston Salles
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
321 textos (38905 leituras)
2 e-livros (316 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 01:53)

Site do Escritor