Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM PROGRAMA MUITO ESPECIAL

UM PROGRAMA MUITO ESPECIAL
J.B.Xavier

Confesso que eu estava com a existência bastante atrapalhada, quando recebi pelo correio o envelope salvador. Dentro dele havia um CD. Era um presente de um desses raros amigos que cada um de nós tem, e que presta atenção em nós, mesmo que nós não prestemos atenção neles. Por isso são tão raros!

Pensei, à primeira vista, que fosse um CD de músicas, o que seria um presente e tanto. Não pelo valor, é claro, mas pela lembrança, que por si só já me comovera bastante. Mas não era.

Era um programa de computador. Junto com ele havia um recado manuscrito: “Tenho percebido que você anda um pouco desconcentrado” – dizia o bilhete (só um grande e gentil amigo consegue chamar de ‘desconcentração’ as bobagens que outro amigo faz) – “e penso que este CD pode alterar para melhor algumas coisas em sua vida. Mas atenção! Você precisa Blá, blá, bla´...”

Com sempre, li o recado em diagonal, sem lhe dar muita importância, tanto que sequer cheguei ao seu final. A pressa em instalar o tal CD não me permitiu fazê-lo.

Achei esse presente uma grande coincidência, por que, em busca do sucesso, e temeroso como sempre, de pôr em risco o que eu já conseguira conquistar, eu já havia, há algum tempo, redobrado os cuidados com o HD “Minha vida”.

Prevenido, instalei por conta própria na partição “Coração” o que pensava ser os mais poderosos anti-vírus disponíveis. O mais eficaz deles, a Desconfiança, de fato evitou que eu fosse contaminado por falsas e interesseiras amizades, mas também impediu que manifestações de afetos genuínos pudessem ser baixadas, mesmo sendo versões inofensivas em “share ware”.

Outro desses poderosos anti-vírus  que instalei, foi o Pragmatismo - um nome complicado, mas que esconde uma função bem simples: impede que o vírus do sonho seja instalado no coração, ou melhor, permite que se instale apenas os sonhos possíveis de serem aplicados na prática.

Graças ao Pragmatismo, fiquei livre daqueles sonhos impossíveis, que tanto tempo me fizeram perder. Seu único defeito é que elimina do coração o senso lúdico, e, por isso, acabei por me tornar uma pessoa excessivamente prática e pouco emotiva.

O fato é que, por muitos motivos, essas precauções não tinham resolvido meus problemas, ao contrário, muitos deles tinham, inclusive, se agravado.

Meu amigo estava tão atendo em mim, que me deu um CD que prometia justamente eliminar automaticamente da partição do coração tudo o que a Desconfiança e o Pragmatismo detectam. Achei fantástico!

Confesso que fiquei um pouco decepcionado quando vi do que se tratava. As letras vermelhas enormes, sobre fundo branco, gravadas no CD, não deixavam dúvidas sobre sua utilidade: “PRESSA” era o nome do programa.

Decepcionei-me, a princípio, porque eu próprio já utilizava uma versão mais antiga. Depois, prestando atenção no rótulo, pude ver que o programa evoluíra para um sistema operacional completo! Então me animei, e, como vocês poderão ver, PRESSA era, sem dúvida, um programa muito especial!

Para começar, é um dos mais conhecidos e populares programas que existem, e está em sua versão número xxxcentos!. Nem todos instalam a versão “full”, razão pela qual poucos usufruem de todas as vantagens de um dos mais poderosos sistemas operacionais já criados. E o presente de meu amigo era a versão mais atualizada do mercado. O interessante nele, é que, apesar da popularidade, poucos sabem usá-lo corretamente.

Graças ao Pressa, pude queimar etapas e avançar mais rapidamente às minhas metas. Claro, há também alguns problemas, como em todo programa que se preze. O principal problema do Pressa, é que ele causa uma espécie de euforia, porque nos leva à ilusão de que tudo é possível. Por isso ele é tão popular! Mais tarde percebi que se usado em excesso, ele, de vez em quando, trava todo o sistema de harmonia de ”Minha Vida” e muitas vezes é preciso recomeçar o que já se havia feito, por tê-lo feito mal.

Além disso, o Pressa traz embutido de brinde alguns aplicativos que se auto instalam quando acionamos certos atalhos ao digitarmos nosso dia-a-dia. Esses ‘brindes’ são bons ou ruins, dependendo do conhecimento que se adquire deles e da maneira de utilizar seus comandos.

Por ter penado tanto para navegar pelo programa, resolvi esclarecer alguns pontos para quem desejar instalar, ou já tenha instalado o PRESSA no HD “Suas Vidas”.

Por exemplo, se acionarmos simultaneamente “distração” e “pouco caso” o resultado é o travamento imediato e automático do diretório “Novas Oportunidades”. Da mesma forma quando acionamos ao mesmo tempo o comando “Falta de Tempo” e “Promessa quebrada”, o sistema causa a perda de alguns nomes de nossa listagem na pasta “Amigos”.

Mas cuidado! Descobri, sentindo na própria pele, que essa ação é aleatória. Em certas ocasiões, ela deleta TODOS os nomes desta pasta! Para complicar ainda mais, há também um “bug” que “enlouquece” o programa fazendo com que o acionamento desses comandos delete, sem nenhuma explicação ou pedido de confirmação, alguns nomes das pastas “aliados” e “Pessoas queridas”.

Em contrapartida, para compensar, o “Pressa” traz também alguns comandos escondidos, que somente os que dominam o programa conseguem acessar. Um deles - e talvez o mais útil – é “Objetividade”.

Esse comando pode ser acionado de duas formas diferentes: A partir do botão “Foco”, ou na guia “Desafio” que o Pressa apresenta quando Foco é clicado. Entretanto, se Foco e Desafio forem clicados simultaneamente, o programa abre um quadro de opções, com várias abas – Pressa 1, Pressa 2, Pressa 3 etc...que permite regular a velocidade que se deseja da pressa.

Aqui, é preciso redobrar a atenção, pois a última dessas opções é “Pressa Total”. Só se deve apelar para ela, se a situação for mesmo de extrema emergência. Na “ajuda” do programa não consta nada a respeito, mas em quase todas as ocasiões em que a utilizei, tive os acessos bloqueados aos meus principais programas, como “Amizades” e “Reconhecimento Pela Minha Pessoa”.

Mas a conseqüência mais bizarra dessa opção é a brincadeira de mau gosto que a “CYOD Corporation” - sigla de Choice Your Own Destiny. (Escolha Seu Próprio Destino) - colocou na aba “Pressa Total”. Não sei explicar exatamente como ela é acionada, mas trata-se de um sistema randômico que cria uma nova e diferente dificuldade sempre que se está próximo de atingir o sucesso. Isso causa uma grande frustração, porque em determinada altura você só tem a opção de um botão para continuar em frente, chamado “Seguir sozinho”.

Outra brincadeira sem graça da CYOD é um aviso piscando num fundo vermelho que diz: “Atenção, você ultrapassou o ponto de retorno. Já não é mais possível recuar”. Digo que é uma brincadeira sem graça porque esse aviso só aparece DEPOIS de apertarmos o botão “Seguir sozinho”. Se esse aviso aparecesse antes, o programa seria bem mais amigável.

Ok, não vou criticar o programa, somente, porque bem antes de aparecer o botão “Seguir sozinho” aparece um botão intermitente onde se lê “STOP” – na versão em português foi traduzido como “BASTA! Ao clicá-lo, o programa volta automaticamente para o nível “Pressa 1”.

O problema é que apenas a palavra “BASTA” não é suficiente para chamar nossa atenção, porque não há nenhuma explicação adicional. Além disso, a intermitência com que esse botão fica piscando, irrita qualquer um e acho mesmo que colabora com a teimosia que parece invadir todos os que lidam com o nível Pressa Total, fazendo com que se deseje acelerar ainda mais o ritmo das coisas.

Outra falha é que não há interesse da CYOD Corporation em receber sugestões para a melhoria e desenvolvimento de seus produtos. Não há sequer um endereço – postal ou de e-mail – para onde se possa enviar nossas impressões sobre eles. A única explicação que eles dão para esse fato, é um pequeno tutorial de alerta, que aparece logo no início da instalação do Pressa:

“Atenção! Este produto é 100% garantido contra defeitos de fabricação, e não pode ser devolvido. Mesmo o desinstalador que o acompanha não removerá seus resíduos completamente. Certifique-se de que seu HD é da marca “SV” - Sua Vida - e de que possui o selo de qualidade “Saudável”. Este é o único HD compatível para que o programa funcione eficazmente.  Se seu HD na possuir o selo de qualidade, não instale esse produto, pois ele poderá travar “Sua Vida” e talvez mesmo inutiliza-lo”.  Se insistir em instalá-lo faça-o por sua conta e risco.”

Mas, quem presta atenção nesses tutoriais de avisos?

A única concessão que o fabricante faz a respeito, é um módulo criado especialmente para desenvolvedores. Trata-se do “BYOD” sigla de “Build Your Own Destiny”. Nas versões em português procure por “CONSEDE” (abreviatura de Construa Seu Próprio Destino).
 
Para começar, não se consegue acessar o nível Pressa Total e o BYOD simultaneamente. É preciso optar: Ou um, ou outro.  Na barra do menu principal há os atalhos “Boa vontade”+“humildade” ou “Boa vontade”+“Paciência”, que são duas das três opções possíveis de acesso ao módulo. Em alguns casos o acesso só é permitido com a terceira opção, que é a junção das outras duas, ou seja, “Boa vontade”+“humildade”+“Paciência”. Desconfio que isso tem a ver com o tempo em que se passou no nível Pressa Total.

De qualquer maneira, só se tem sucesso no uso do BYOD caso ainda não tenhamos nos tornado escravos, ou mesmo viciados no nível Pressa total. Logo, só se pode acessá-lo se o botão “Basta” tiver sido clicado. A partir daí, como já disse, não há mais volta!.

Tenho pouco a dizer sobre o módulo BYOD, porque conheço ainda quase nada sobre construir o meu próprio destino. A “ajuda” mais confunde que auxilia, pois na maioria dos tópicos é composta por histórias de pessoas que construíram SEUS próprios destinos. Salvo pelos preceitos básicos, essas histórias são de pouca ajuda, por serem uma experiência única, útil apenas a quem as vivenciou.

Entretanto, por ser um “fução” irremediável, já percebi que a principal ferramenta do BYOD é um diretório que guarda todas as pastas e todos os documentos deletados durante o uso do nível Pressa Total.  E isso foi uma grande e agradável descoberta!

Confesso que respirei aliviado ao perceber que todo o histórico de meus relacionamentos ainda estava disponível. Disponível, aqui, é força de expressão, porque os comandos para abrir este diretório são de tal forma delicados – se é que é possível usar essa palavra – que um erro em seu uso, ou uma combinação de comandos errados aciona o programa Descuido – um clone do “Cleanup”, que os varre definitiva, total e permanentemente do HD “Minha vida”!

Devido às muitas mancadas que já dei por “fuçar” nesse módulo, acabei perdendo definitivamente alguns arquivos xx.amz e xx.ald, terminações que identificam os arquivos do tipo “amizade” e “aliados”, que eu poderia ter recuperado, se tivesse prestado mais atenção neles.

Foram perdas lamentáveis que causei a mim mesmo por ter mexido nesse módulo sem ter me especializado, ou mesmo simplesmente me informado dos comandos corretos para navegar por ele. A essa altura do campeonato eu deveria saber que, se criar um arquivo .amizade ou .aliados já é difícil, imagine então recuperá-los.

Por isso, aconselho aos que tenham instalado o Pressa no HD “Suas vidas” que tomem o máximo cuidado com esse enigmático módulo.

Se eu tivesse sido mais cuidadoso, e fosse mais observador, teria percebido que somente a aba Humildade poder ter alguma chance de abrir o arquivo “Amigo Ferido.amz”, um dos muitos que acabei por corromper até o ponto em que já não me fosse mais possível acessá-lo. Teria percebido também que a guia “Tome a Iniciativa da Reconciliação” deveria ser clicada logo após o clique em “Humildade”. Mas acabei clicando na guia “Vou dar um alô e esperar para ver o que acontece”. Nada aconteceu!

O que pude descobrir ainda, é que este módulo tem inúmeros níveis. Pelo menos foi o que me disseram alguns amigos que já são craques em navegar por ele.

Cada um desses níveis, segundo eles, exige um estágio mais aprimorado de especialização. Difícil? Segundo esses amigos, é difícil, mas é também muito prazeroso, porque a cada novo nível conquistado cujas ferramentas se domina, mais arquivos .amz e .ald se recupera, e mais fácil se torna a navegação.

Estranhamente, entretanto, nenhum desses usu´rios - mesmo aqueles que considero pessoas especiais - disse ter chegado ao último nível, e mais estranhamente ainda, nenhum deles sabe exatamente de quantos níveis se compõe o módulo. Isto, segundo eles, os estimula para continuar pesquisando sobre novas maneiras de aperfeiçoamento pessoal que os faça atingir níveis mais altos, o que torna a estimulá-los, criando assim uma espiral de crescimento e de prazer que parece não ter fim.

 Bom, eu cheguei apenas até o nível dois e parei para tentar me preparar melhor. Concluí que podemos ser “fuções” em qualquer outra parte do programa Pressa, mas no módulo “Construa Seu Próprio Destino, temos que saber o que estamos fazendo.

Se por um lado a CYOD Corporation não nos dá chance de desinstalar completamente o Pressa, no CONSEDE ela nos dá a oportunidade de repararmos nossos erros e reconstruirmos nossa vida. Desperdiçar essa oportunidade é um preço muito alto a pagar pelo descaso.

Além do fato de eu ser para sempre grato ao meu amigo, que prestou atenção em mim sem que eu tenha prestado atenção a ele, não há muito mais para ser dito, porque sou ainda um novato navegando num programa cheio de armadilhas. O que aprendi, entretanto, mostrou-me que o menor descuido com os arquivos  .amizade e  .aliados, pode arruinar “Minha Vida”, e isto é motivo mais que suficiente para que eu tente me especializar ao máximo na arte de fazer, reter, e recuperar amizades e alianças.

FIM
Conheça o livro de contos  "Caminhos" - de J.B. Xavier
http://www.submarino.com.br/books_productdetails.asp?Query=ProductPage&ProdTypeId=1&ProdId=225727&ST=SE

 
JB Xavier
Enviado por JB Xavier em 27/02/2005
Reeditado em 04/11/2007
Código do texto: T5324
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
JB Xavier
São Paulo - São Paulo - Brasil
1049 textos (179032 leituras)
50 áudios (18289 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:22)
JB Xavier

Site do Escritor