Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALINE E A CASA DA MATA

Lembram de Aline? Pois é, ela voltou!

CAPÍTULO 1

Fazia pouco mais de três meses que Aline conhecera seu pai biológico.Era o mês de julho, e ela finalmente estava de férias,mas infelizmente não pudera viajar com o pai para a Espanha,pois este tinha ido para lá a trabalho,de maneira urgente e quando ela ainda estava em aula.Ele ligara duas vezes depois disso,uma delas pra dizer que ia demorar a voltar mais do que previra antes.Aline ficou amuada por alguns dias,até que em uma manhã chuvosa,saiu da fazenda onde morava,com várias roupas,objetos e mantimentos.Disse pra avó Filó,que ia passar alguns dias na casa do pai na mata.

- Menina,você vai ficar sozinha naquela casa enorme? - disse a avó.

- Vó,eu não tenho medo,não há nada a temer lá.Vou explorar a casa e os arredores,centímetro por centímetro.Não quer vir comigo? - disse Aline.

- Eu não!Tenho muito a fazer aqui.Mas me prometa que vai tomar cuidado.

- Pode deixar vó!Não se preocupe viu?

Aline pegou carona na carroça de Seu Pedro.Pegaram um atalho da fazenda até a casa de pedra da mata.Seu Pedro também estranhou a idéia de Aline.

- Aline,aquele lugar é esquisito demais durante dia, imagine a noite! - disse ele.

- Aí que está a graça Seu Pedro.Eu adoro me arriscar,faz eu me sentir viva! - respondeu ela,lembrando que convidara sua melhor amiga Isabel pra ficar com ela,mas esta morrendo de medo não quisera ir.

Ao chegarem na casa,Seu Pedro fez questão de olhar tudo ao redor, e testar trancas e fechaduras das portas e janelas.Tentou convencer Aline a mudar de idéia, pois a avó Filó pedira isso a ele,mas nada que dizia a fazia desistir:

- Seu pai não vai gostar de saber que você andou mexendo nas coisas dele,ele é muito reservado -disse ele.

- Mas o senhor não vai dizer a ele vai? - retrucou ela.

- Nem precisa,além de reservado seu pai é meticuloso,vai notar se alguma coisa estiver fora do lugar e vai saber que alguém mexeu nas coisas dele! - disse Seu Pedro.

- Certo, eu vou prestar a atenção na posição de tudo e deixar exatamente como estava antes!

Meia hora depois,Seu Pedro fazia o caminho de volta,desistira de convencer Aline. Esta fechou a porta da frente da casa, e subiu para o quarto no primeiro andar que sempre ocupava quando visitava o pai.Abriu a bolsa que trouxera e arrumou seus pertences no quarda-roupa antigo,desceu e guardou os mantimentos na espaçosa e clara cozinha da casa.Por último tirou da bolsa um pequeno livro,abriu uma página marcada e leu em voz alta:

" A casa que moramos representa muito de nosso mundo interior.A fachada estaria relacionada a nossa aparência ou máscara; o telhado ou andar superior ao pensamento e ao espírito; os andares inferiores ao inconsciente e aos instintos; e a cozinha, local onde se transformam os alimentos, ao lugar onde acontecem nossas mudanças psíquicas e as transformações alquímicas de nossa evolução. Não é a toa, portanto, que as casas se parecem tanto com quem vive nelas..."

Aline fechou o livro,pegou o molho de chaves que deixara em cima da mesa,caminhou até o final do corredor lateral onde havia uma pequena porta,escolheu a chave certa a abriu a porta:

- O porão!É por lá que vou começar. Pai, preciso saber mais de ti!Por que as pessoas têm tanto medo daqui e de você?!

Continua...



Ane
Enviado por Ane em 01/11/2005
Reeditado em 26/05/2007
Código do texto: T66275
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ane
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 46 anos
31 textos (9070 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:36)
Ane