Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pesadelo (a Saga...22)



Madrugada de sábado Constâncio acordou de um pesadelo Tinha visto o tal Rui, primo das meninas do Trio calafrio passando pedalando a sua “pantewra negra” de longe avistou o rapaz parando na porta da casa de Dª Maria Fel. Começou a correr naquela direção prevendo um acontecimento ruim. E quanto mais rápido tentava correr, menos velocidade conseguia dar ao próprio corpo. Era como se o vento, ou uma força superior a ele quizesse frear seus movimentos. Assim mesmo conseguiu chegar à porta da casa da namorada e viu na Sala o tal Rui conversando com Dª Maria Fel, Fulo e Fabiana, que segurava a mão dele. Furioso, tentava correr para a casa, mas aquela força desconhecida o impedia. Nisto,percebeu o pequeno Nazon saindo pela porta da sala. Fez sinal, chamando por ele e pperguntou com a voz embargada: “Nazon, meu amigo, o que é que está acontecendo na sala de sua casa?”Ao que Nazon, de cabeça baixa respondeu:
 Aquele tal de Rui, veio pedir a minha mãe pra se casar com a “Nega”. ..
Nãaaaaaooooo, berrou Constâncio... e foi nesse ponto que acordou e não dormiu mais até a hora de ir pra fábrica.No trabalho, mal conseguia prestar atenção nas coisas, com aquele pesadelo insistindo em tomar conta de sua cabeça.Sentou-se num fardo de tecidos já embalado  descansou a cabeça na mão direita espalmada, com o cotovelo apoiado na coxa. Ali, tomou a resolução mais importante de sua vida,mas não disse a ninguém.Assim que soou o apito da fábrica,anunciando o fim do trabalho no sábado (até o ½ dia) ele montou em sua bicicleta e voou pra pensão,jogou uma água no corpo e nem se preocupou em almoçar. Vestiu-se e foi rapidamente para o ponto do ônibus do Mozart, que partiria dali a meia hora para Sete Lagoas. Comprou a passagem no balcão da venda de “Seu” Juca e se acomodou no ônibus. Ainda estava meio sonolento, pela noite mal dormida e aproveitou pra cochilar até chegar em Sete Lagoas,meia hora depois. Desceu aflito e foi direto pra lojinha onde tinha comprado o broche e os brincos de ametista para sua amada.Saiu dalícinco minutos depois com um pequeno embrulho que guardou no bolsoe foi tomar um cafezinho na padaria da esquina.
Naquela noite de sábado,não foi à casa de Dª Maria Fel, visitar a namorada.Ela que sentisse sua falta...
Domingo,depois do almoçoporem,não agüentou, montou na “pantera negra" e pedalou até lá.Precisava tirar aquilo a limpo. Apeou da bicicleta e encontrou com Fulô na entrada da casa. .” Fulô, pode chamar Fabiana, por favor, preciso muito conversar com ela...”
A “Nega” foi pra Sete Lagoas......volta amanhã! disse o cunhado; Mas como, pra Sete Lagoas? Perguntou arfante o outro... “É... mãe foi visitar sua irmã, Tia Rita e pediu Fabiana pra fazer companhia a ela, pois não gosta de andar sozinha.
“Nega”  até disse que ia te avisar ontem, mas você não apareceu...Constâncio montou na bicicleta e saiu derrapando, nem se despediu...Ficou macambúzio o domingo inteiro.Tnha perdido a hora de tocar no côro da missa das oito e também não foi tocar na banda no corêto. Também, sem Fabiana, tocar no côro e na retreta, não tinha a menor graça!
Fabiana chegou com a mãe lá pelas oito horas da noite. Estava especialmente carinhosa com o irmão e puxou-o prum canto da casa:”Fulô: Constâncio diz que quer se casr comigo. Quero saber sua opinião.”
Olha “Nega”; o destino de toda moça de família é casar mesmo Mas é bom escolher um parceiro bom de quem goste realmente. Eu acho o Constâncio um rapaz de bem, mas quem decide isso é você mesma minha irmã. Porque você não conversa com mãe?. Aquela sabe de tudo nessa vida. Troca um dedo de prosa com ela.
A moça assim fez. Passou aquela noite conversando com a mãe e o assunto era um só.: Constâncio. A mãe então reconheceu que o "bichinho do bem- querer" tinha picado o coração de sua filha.Deu inteiro apoio a ela e revelou que também gostava muito “dos modos”daquele rapaz que ela escolheu...Fabiana nem dormiu direito, de satisfação.Não conseguia deixar de lembrar do beijo  na semana passada no cinema e ficava imaginando entrar na Igreja do Cedro, não pra cantar no Côro, mas pra se casar com Constâncio,toda de branco....Sonhava em ter muitos filhos, mais que sua mãe...
Aecio Flávio
Enviado por Aecio Flávio em 01/10/2007
Reeditado em 06/10/2007
Código do texto: T676342
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aecio Flávio
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 76 anos
139 textos (21100 leituras)
117 áudios (22399 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 07:43)
Aecio Flávio