Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma noite maravilhosa



   
    Diante de um imenso portão que levantava lentamente,eu nem sequer poderia imaginar o que poderia acontecer naquela noite. Sentado ao meu lado,estava ela com uma expressão serena,sua beleza,seus olhos negros,onde as sombrancelhas se destacavam,deixando seus lábios expressivos ,porém belos,um leve sorriso,muito discreto ornamentava aquele quadro tão belo.
Uma porta pintada com uma cor clara porém bela, era o começo de um mundo que seria somente nosso.Resolvemos escolher um lugar onde poderíamos conversar tranquilamente ,sem as importunações dos ambientes ruidosos e desconfortáveis pois,naquele início de caminhada,era muito importante e necessário. Após ligar o ar condicionado,procurei o som e por sorte uma canção muito bonita se fez tocar.Sentei na cama diante dela e fiquei a observar e ao mesmo tempo muitos pensamentos percorreram minha mente,lembrei me de toda minha vida,como num flasch de tempo,nunca me imaginaria que estaria ali.Num sobressalto ela perguntou-me o que estaria pensando,desconcertado,disse que não era coisas muito importantes.Mas eram importantíssimas...
  O ambiente era simples,decorado com um bom gosto e revelava que quem o fez ,apreciava o amor e todas as suas formas de atuação.
Embora o objetivo de ali estarmos era só para conversar,não havia como,dada a afinidade que surgiu entre nós,deixar de me aproximar  dela ,tomar suas mãos levemente e beija-las.Um perfume leve,discreto,adocicado entrou em meu cérebro e como não podia deixar de ser a abracei. Neste instante,ainda tocando a bela canção,meus lábios foram aproximando bem lentamente aos dela e a beijei com uma ternura,confiança,satisfação tão grande, onde desvaneceu-me a dúvida que tinha que não poderia mais sentir aquela sensação.Ela suavemente,assim como as fadas caminham por entre as névoas mágicas,deixou-se encostar levemente em meu peito,onde a serenidade de suas palavras me conduziram ao estágio de muita paz.Havia muita segurança e verdade em suas palavras.Como em uma orquestra onde durante um préludio de amor,assim como os instrumentos entram no tempo certo,ela regeu este momento, e foi retirando suavemente minha camisa.Confesso que nunca havia  sentido tamanha sensação e satisfação, me senti pleno e seduzido por tão bela mulher.O que fazer num momento tão belo,somente fechar os olhos e aproveitar o som melodioso desta orquestra de amar, e dançar sobejamente esta valsa dos sonhos.No segundo estrofe desta linda canção que juntos estávamos a vive-la, ela veio devagarinho,suavemente,olhando bem em meus olhos e beijou-me.Ao mesmo  tempo suas mãos desabotoaram minha calça e o ziper liberou daquela armadura que naquele momento representava.Acho que neste instante os anjos em coro acabaram de complementar tão bela canção...Quando dali saímos,o silencio nos dava uma capacidade de sonhar ainda mais,não necessitava de palavras,de atos,pois estávamos plenos de nossa realização. E mais uma vez compreendi, que somos importantes para muitas pessoas. E que estas pessoas podem nos oferecer um mundo de paz,onde o amar é livre de cobranças, e que o sonhar é uma questão de confiar,entregar-se sem receios,sem a preocupação que nosso quadro da vida,embora esteja colocado em uma moldura de cristal,estealguém que com sua sinceridade, sem nada querer em troca,apenas doar-se e receber na mesma medida estáva,está,estará me esperando nestra estrada tão bela que é viver....

                            Gilmar manhã de 23/10/2007
Gilmar Santos
Enviado por Gilmar Santos em 23/10/2007
Reeditado em 17/03/2008
Código do texto: T706209

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gilmar Santos
Planaltina - Distrito Federal - Brasil, 59 anos
696 textos (113885 leituras)
53 áudios (5041 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 02:23)
Gilmar Santos