Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ricardo e seu encontro com o mar

Depois de entrar em rua, viela, levar buzinada, pergunta  aqui pergunta ali, depois de horas perdido, Ricardo conseguiu chegar na praia da Barra da Tijuca. Assim que chegou foi logo armar sua tenda, mas antes mesmo de começar derrepente começou a relampiar e o tempo se fechou, veio uma chuva daquelas, ele então correu para se esconder, tentou ir até o carro, mas o tinha estacionado no outro lado da pista, o trânsito estava muito intenso, mesmo assim ainda tentou atravessar a pista, quase foi atropelado, sem contar com os xingamentos, então tentou uma dessas carrocinhas de cachorro quente, más lá não cabia mais ninguém, nesta altura ele já estava todo molhado, suas roupas pingavam água, que azar! disse ele ao vento: vim até o mar para visita-lo pela primeira vez e minha recepção não foi das melhores, mas como eu podia saber que era época de chuva, burrice minha, eu podia ter verificado a meteorologia antes de ter viajado, bem que achei a praia um pouco deserta, notei que havia poucas barracas de vendedores.
 - Mas apesar de tudo ele ainda não estava desanimado.
Para completar Ricardo se lembrou que havia deixado sua mulher Soraia e seus dois filhos, a Maria Inês e o Ricardinho no seu carro  que não era muito novo devido ao tempo de uso, que por sinal não estava fechando nenhum dos vidros  das  portas,  devido ao percurso da viagem de Minas até aqui, a estrada estava muito ruim e cheia de buracos, uma boa parte da viagem ele teve que parar para ver uma coisa ou outra no carro, a maior parte da estrada era de terra, tinha tanto buraco que foi um milagre  conseguir chegar  sem o carro ter quebrado.
- O Ricardinho era o mais velho tinha 9 anos, a Maria Inês ainda ia completar dois anos dentro de um mês.
Assim que a chuva passou com muito sacrifício ele conseguiu atravessar a  pista, más para sua surpresa notou que não havia ninguém no carro, ao se aproximar viu que o carro estava todo alagado, só então entendeu o por que ali não havia mais ninguém, era muita água no interior  que já estava próxima ao assento do  banco , mas nem foi preciso  ele se preocupar em retirar a água pois os furos do assoalho já estavam se encarregando disso, olhou apreensivo para um lado e  outro avistou sua família que acenou para ele.
Ricardo já estava quase desistindo do seu encontro com o mar, mas afinal a chuva já havia passado porque não realizar meu
desejo  - pensou ele.
 - Então finalmente ele e sua família foram  ao encontro do mar, ao chegar o Ricardo avançou pra dentro do mar com uma agilidade incrível, só que ao entrar se deparou com uma onda muito veloz, devido ao vento ela estava violenta e lhe deu uma chicotada que ele caiu para trás , o pior foi o sal que veio junto,  ele ficou muito assustado com aquilo tudo e saiu imediatamente da água, depois de limpar o sal com areia que havia entrado nos seus olhos pegou a Maria Inêz das mãos da sua mulher  para que ela e o Ricardinho pudesse adentrar no mar, daí então só ficou observando sua família se divertir.
Este foi o mais cômico encontro da vida de Ricardo.
Carlos Antonio
Enviado por Carlos Antonio em 24/10/2007
Reeditado em 24/10/2007
Código do texto: T707833

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Antonio
Brasília - Distrito Federal - Brasil
67 textos (1953 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 22:19)
Carlos Antonio