Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um conto bovino

            Era manhã, um dia escuro e tenebroso. O sol se escondia de medo entre as nuvens e os pássaros não cantavam. O orvalho já não exalava seu cheiro e as flores não se abriram. O gelo encobria a região e velhas árvores não se agüentavam contra o vento. A chuva rala e fria escorria pela montanha descendo para o rio. Ali estava com a espada em mãos um corpo na minha frente e o sangue em minha túnica. Sangue esse que descia junto com a água da chuva para gélidas águas correntes.
            Era noite, no bar a beber caçoando daqueles que cambaleavam e brindando aqueles que ainda bebiam. As mulheres, já espantadas, se escondiam entre as pilastras, tamanha bebedeira nunca as encorajava. Velhos já moribundos e fedendo a mijo cantavam velhas cantigas. O dono da taverna já a queria fechar. O álcool estava escasso na região, o inverno foi rigoroso para as plantações. A uva não prosperava. Ali estava com a caneca na mão, um corpo esbelto e lindo na minha frente e o vinho seco em minha boca. Vinho esse que descia junto à saliva para meus sucos ácidos e férvidos.
            Era meia-noite, na montanha a neve caía. Até as árvores com suas grossas cascas tremiam de frio. O vento também não perdoava em um assobio sombrio. Estava a começar um novo dia e o corpo naquele casaco se despia. Não entendi como ela não sentia frio, seu sorriso belo, límpido e convidativo me fez rapidamente esquecer o frio. Avancei aos beijos retribuídos com louvor. Desembainhei minha espada sem querer, algo me controlava. Eram as mãos da dama nua, posicionando a lamina contra minha barriga e perfurando minhas entranhas. Ali estava com a espada em mãos um corpo na minha frente e o sangue em minha túnica. Sangue esse que descia junto com a água da chuva para gélidas águas correntes. Era manhã.
BOI (Luciano Alencar)
Enviado por BOI (Luciano Alencar) em 15/11/2005
Reeditado em 28/08/2010
Código do texto: T72163
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
BOI (Luciano Alencar)
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 29 anos
246 textos (25429 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 07:47)
BOI (Luciano Alencar)