Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Confortável Adormecer - DESESPERO - I

Eu estou aqui de peito aberto, sentindo a chuva tocar meu peito
Eu estou aqui entregue à sorte, esperando pela compaixão da vida
Mais uma vez me sinto fraco diante a isto
Minha mente roda e eu não consigo pensar em nada

O que eu andei fazendo todo esse tempo?
Será que isso é um sonho? Essa tempestade parece ser projetada pela minha mente
Estou louco, estou perdido e sozinho, arrancando tufos de meus cabelos e correndo em meio à tempestade eu vou desesperadamente
Tente ouvir, tente sentir, tente... minha dor é tão grande que parece que vou explodir

Tropeço e caio em uma ribanceira, vou rolando pela grama
Minha mente viaja freneticamente, revelando minha vida como um filme
Então nessa viagem eu revejo minha infância, meus amigos, minha família. Onde estão todos agora?
A minha adolescência sempre foi muito conturbada, eu escolhi um caminho no qual não tenho mais controle

Entregue de vez, não desejo mais nada de mim
Não quero mais nada de mim
Caio dentro do rio ao fim da ribanceira e me entrego
Não quero lutar, pois esta batalha já está perdida a anos


                                                 05/11/07
Marins
Enviado por Marins em 05/11/2007
Reeditado em 07/11/2007
Código do texto: T723843

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marins
Itaboraí - Rio de Janeiro - Brasil, 29 anos
51 textos (1343 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 18:37)
Marins