Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A namoradinha de um amigo meu.

O cara chegou espavorido. Ordenou-me que pegasse o telefone e ligasse pra ela. Liga que vou ouvir a conversa pela extensão – disse. Não combinava com ele aquele negócio de chegar lá em casa antes do café da manhã, dando ordens. Não era do seu feitio. Disse a ele que não ligaria nem que a vaca tossisse! E que era pra ele ter vergonha na cara - Ouvir conversas de foro íntimo dos outros, clandestinamente, dava cadeia. Pode deixar – disse ele – que você não irá pro inferno por causa dessa ligação. O pecado será só meu. Respondi-o: Você morre de amor e agora vem me assombrar? Não viaja! Sai de retro!

Há algum tempo o Jef estava amarradão na Cristal. Eles se conheram no trabalho. Se conversaram muitas vezes, foi chegando a amizade, depois a intimidade, mudaram os olhares e daí a mágica boa.

Eu não teria nada com isso, se não fosse ele. Ele teve a idéia. Já que se mudaria para uma cidade tão distante, para a árdua e grandiosa missão de virar doutor, assim, não poderia embarcar a moça nesse sonho. Não havia lugar para dois nessa barca. E também não a faria esperar tanto tempo, pois ele mesmo já havia sido traído por seu coração. Sabia que seu coração era vadio. Melhor que ela tomasse o próprio rumo. Foi assim que o Jef, na praça da igreja, numa tarde cinzenta, propícia para encerrar romances, disse a Cristal que as circunstâncias os separariam. E por prova de seu amor, sugeriu-a que se fosse ficar com alguém, que escolhesse quem fosse a tratar como uma princesa que era. O “Meninão Autoridade” por exemplo – disse – é bom menino e um bom partido. (Só se fosse partido ao meio e lá pelas bandas de *Guaporé!). Me sugeriu também. Falou que apesar do meu jeitão de brabo e durão, eu tinha coração lá dentro e que nem precisaria de muita lenha para derreter!


Há fatos que ocorrem comigo e com muita gente. O mundo não tem tantos segredos como pode parecer. Pois depois da dita sugestão, encontrei a morena em toda lugar. Até que um dia a encontrei numa festa e pudemos ter uma conversa mais demorada. Disse a ela que me desse a mão e que saíssemos e esquecêssemos o que já sofremos. Era hora de ver o sol. Senti-me o tal, especial, sem igual, um cara de simpatia sincera, um Giovany dos Biase ( saúde e vida longa aos Biase).

A partir de então meus sonhos ficaram claros. Claros e não comuns. Foi nessa ocasião que sonhei que disputava uma animada “pelada”, num campo ao lado de um jardim de infância. Os amigos jogavam comigo. Só que todos éramos cachorros. Havia um cachorro vira-latas e um pouquinho gordo, que latia grosso e queria mandar na pelada, era o Kito Barbieri. Outro cachorro era um cão policial, que depois identifiquei sendo o Meninão. Um cão Play boy e um outro um tanto velho e rabugento que achava ridículo “ um monte de cachorro atrás de uma bola, com tantas cachorras dando bola por aí”. A dona da cachorrada era a Cristal que chegou com uma tigela de ração para o lanche. O cão policial latiu dizendo que não era para comermos, pois a megera colocara um produto que nos castraria. Como ela entendia a linguagem dos cães, disse: que isso!? Olhem, vou colocar um molhinho que vocês adoram, e assim encharcou a ração com bohemia. Não sobrou nada! Só um cãozinho pastor da universal, Ruan, que disse estar de dieta e não comeria mesmo! Que neste verão seria o cão mais saradinho do bairro Honório Fraga. Vou ser mais lindo que meu primo Shayan, que o Arruda e que Buá – disse ele com olhar dengoso!

Eu não sei bem o que o sonho quis dizer, mas fora um presságio. Dois dias depois chegou aos ouvidos do Jef, por um primo seu, o Camilo, que eu estaria vivendo um tórrido romance com Cristal. E por isso que ele queria que eu ligasse para ela para saber se ela dizia para mim as coisas bonitas que dizia para ele.

Quem não sabe brincar que não brinque. Pois a Cristal não sabe brincar, o Jef não sabe brincar e o Camilo muito menos. Pois só foi eu dar as costas para o Camilo “carregar a Cristal”. E até foram juntos passar um carnaval”.

Hoje o Jef é doutor e tem uma namoradinha que é um luxo e virá passar o natal em Colatina, mas avisou que não trará a namorada. O Camilo está só e fez reflexos nos cabelos e ainda acha que sua cabeça não está bem adornada e o banco do meu carro está vago... Dizem que Cristal virou rainha de carnaval!

www.cronicasdojoel.blogspot.com
Joel Rogerio
Enviado por Joel Rogerio em 19/01/2006
Código do texto: T100849
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joel Rogerio
Colatina - Espírito Santo - Brasil
116 textos (7969 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 06:21)
Joel Rogerio