Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Contos uivantes 2

Entre mim e mim, um labirinto de vastidões intransitável aos anseios constantes me fazem vagar de porto em porto, atrás da esperança de esperanças crescidas, que realizem aqueles desejos doentios.
O tapete verde tremulava e uivava contra o vento uivante e meus poros oxigenados de eucalipto cerravam-se,  enclausurando tantos eus dentro de mim, aflitos por não se dispersarem como  os grãos de areia ventados.
Não doava a mim aquela mesma oportunidade de liberdade, abraçando algemas tiranas mais e mais, até quando estrelas nas ruas do céu escreveram-me o seguinte recado: “Mundo incompleto, sempre diferente, a cada dia mais faltando completar, tornando-se lindo por isto.”
Compulsivamente  me olhei, não me vi, toquei-me, nada senti, falei e nada ouvi, porque lamentavelmente estava viva sem viver. Apenas contemplava o vento uivante  impregnado e impregnando de vida todos os espaços, que eu porém não ocupava.
De perto em perto algo ocorria. Debaixo do teto de estrelas algo  me acontecia, pura energia puxando energia de fora adentro e vice-versa, misturando conceitos, conflitando noções de dar e receber e quem completa quem.
E, de repente era eu a primeira estrela da frase abotoada no céu de anil: "mundo"; confusa, ofuscada, hesitante, engatinhando e fazendo-me  incompleta na vastidão dos inacabados ventados e uivados.

Santos-SP-06/04/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 06/04/2006
Código do texto: T134722
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23416 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:35)
Inês Marucci