Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Maria

Maria acordou e olhou no relógio velho que a anos não saía da cabeceira de sua cama.Eram 7 da manhã.Estava atrasada.
-Meu Deus, pela primeira vez não ouvi ele despertar. - Disse ela baixinho em tom de lamentação.
Levantou da cama e quase lançou vôo até o banheiro, a fim de tomar uma ducha rápida e rumar a sua vida cotidiana.

Quinze minutos depois, lá estava ela, no portão da pequena casa suburbana, totalmente atrasada.
Mais 5 minutos, estava no ponto de ônibus.Lotado.
"Puxa vida...Será que todo mundo se atrasou?","Menos mal", pensou.
Acenou para o primeiro ônibus que passava, sem notar o quão lotado ele estava.Subiu e ficou expremida no meio de
todas aquelas pessoas loucas por um espaço naquele grande veículo de locomoção coletiva.
"Mas que droga", pensou Mariah, "Eu tinha que me atrasar justo hoje?".
Sexta-feira aquela cidade era uma loucura.Carros por toda a parte,as pessoas surgiam do "nada" e o trânsito era de matar qualquer motorista apressado.
Uma hora depois, lá estava ela frente a frente a seu chefe explicando o motivo de seu atraso."Simplesmente não ouvi meu relógio despertar".Mentir era inútil.
Homem duro,feição fechada e coração frio.Deu-lhe um chamativo de atenção e fez com que ela trabalhasse 1 hora a mais, para compensar seu atraso.
-Tudo bem...Não tem problema, fico até mais tarde. - Maria respirou aliviada ao sair da sala daquele homem "estranho" e voltar a rotina de seu trabalho.
Os clientes chegavam a todo momento, os pratos eram muitos, os copos então nem se fala.
Lavar, lavar e lavar.
Concentrada em seus pratos, copos e talheres, Maria sorriu ao pensar em como era bom ainda estar empregada.
Lavava aquela louça como se fosse a coisa mais importante
do mundo.E não era a toa que o restaurante "Drink´s" estava entre o preferido em questão de limpeza.
"Esse é o meu trabalho" pensou ao colocar sabão na esponja e de leve esfregar o prato, limpando toda a sujeira que um dos clientes fizera, quando sentou na mesa do restaurante e fez seu pedido a fim de matar sua fome.
Deia Tumenas
Enviado por Deia Tumenas em 12/08/2006
Código do texto: T214760

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Deia Tumenas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 30 anos
217 textos (16392 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 14:34)
Deia Tumenas