Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Por quem o teu coração bate?




        Teve um dia que me dei conta que estava muito apaixonada por um cara. Muito mesmo. Eu pensava nele dia e noite, noite e dia, todas as horas, minutos e segundos da minha vida. Quando comecei a não comer direito, me dei conta que o mal estava feito. De um simples flerte, a paixão chegara arrebatadora. Nossa, como agir?
Bem, eu já estava agindo há algum tempo. Da primeira vez que eu o vi na academia, nem dei bola. Até me incomodei. Que saco, este guri toda hora me olhando. Nem conseguia fazer meus exercícios direito. Quando eu olhava – sem querer – para os lados dele, lá estava a criatura me cuidando. Ai, meus sais.
Mas então começaram a acontecer estas coisas que a gente não entende. Eu comecei a achá-lo bonitinho. Reparei nos músculos, na cor da pele... até que ele era bem simpático. E o sorriso? Humm... Um dia me dei conta que quando beijava meu namorado, ficava pensando no outro. Foi aí que comecei a me perder.
Bom, meu namoro já estava no fim mesmo e eu não sofri quando tudo acabou. Eu já sabia onde deveria investir. Já possuía um foco. E fui com tudo, confiante no meu sucesso.
Entretanto, estou peleando até hoje. O que faz uma pessoa estar afim de outra e simplesmente não fazer nada? Absolutamente nada?! Eu fiz de tudo. Até um pouco mais do que deveria, pelos meus padrões. Vejo os olhos dele me perseguirem por onde eu vou, ele me toca, fala comigo, mas não diz as palavras principais: quer sair comigo?
Sim, eu quero sair contigo, diria eu no mesmo instante, se tivesse alguma chance. Mas não tenho. Imagino que ele tenha alguma namorada. Não faz mal, não sou ciumenta. Eu só queria uma chance. Só uma. Só que chega um momento que você cansa de esperar, por mais que esteja apaixonadíssima. Dá vontade de perguntar: quais são os teus medos, meu filho? Eu devo ser uma guria muito aterrorizante para que ele não queira ficar comigo.
Na semana que passou, joguei tudo para cima. Ou melhor, nas mãos de Deus. Foi quando bateu aquele desespero, o momento em que eu percebi que tô lutando há meses para conquistar algo que nunca vai ser meu, mesmo com todos os meus esforços e a minha autoconfiança. Autoconfiança que está se extinguindo afogada nas minhas lágrimas. Então, numa noite de raiva e tristeza, deixei tudo com Deus. Aliás, eu já rezava todas as noites para conquistá-lo. Mas desta vez, eu resolvi deixar as coisas com Ele. Por favor, me ajude, implorei.
Mas os dias passaram e nada aconteceu. Nem Deus me ajudou. Ou por um lado, Ele está querendo me dizer que o cara não é para mim, algo como, sai fora que ele não é para ser teu. Mas eu o desejo tanto... Por que a gente cisma com certas pessoas, achando que elas consertarão nosso mundo? Talvez ele consertasse o meu. Ou eu mesma deixasse o mundo dele mais bonito. Não sei. Está nas mãos de Deus. Eu me pego sem forças para continuar lutando. Só me pergunto por quem o coração dele bate.


Patrícia da Fonseca
Enviado por Patrícia da Fonseca em 03/09/2006
Código do texto: T231964
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Patrícia da Fonseca
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 46 anos
573 textos (37925 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 02:23)
Patrícia da Fonseca