Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amor de criança...

"Pai, mãe. Estou amando uma menina linda, linda, linda que senta na frente de minha classe e mora ao lado. Quero casar com ela", desabafou o menino de 10 anos, enquanto os pais gargalhavam. O pai, homem de comércio e cálculos, sentenciou: "tu não sabes o que é amor, guri. É novo demais. E amor não dura", afirmou ele, acostumado a uma união pacata ao lado da esposa, que tornou-se uma criatura amarga, sem vaidades. Diante da frieza dos pais, o garoto foi chorando para o quarto. "Se não sei o que é amor, por que sinto essa coisa no peito ao pensar nela?", indagou-se. O guri pegou seu caderno e começou a escrever as coisas que gostaria de fazer junto da amada. "Quero ter uma namorada para passear de mãos dadas e brincar na pracinha. Correr pelos jardim e cair juntos no meio das flores. Ficaria deitado ao lado dela nas gramas e olharíamos as estrelas (daria até para pedir a uma estrela cadente, para que nada nos separasse). Quero levá-la ao circo, e vê-la se encantar com os leõezinhos ou se lambuzar comendo maçã do amor.
Quero levá-la ao parque de diversões e andar na roda gigante para poder segurar sua mão. Claro que não teria perigo de cair, mas queria que soubesse que eu estava ali, para protegê-la. Contaria moedas para levá-la ao cinema e a beijaria pela primeira vez. Quero ter uma amiga para rir, ensinar a andar de bicicleta e nadar na cachoeira. Quero tirar muitas fotos de seu sorriso para eu ficar olhando à noite e poder sonhar com seu rostinho lindo". O guri foi até a janela e olhou para a casa ao lado. Lá estava a sua pequena princesa, abraçada a um ursinho. Ela sorriu seu sorriso mais lindo e acenou, mandando um beijo pelo ar, que tocou a face do garoto, na forma de uma brisa suave. Sabendo o impacto que seu gesto, ela apagou a luz e foi dormir. O guri, caindo em si, escondeu seu caderno. Não queria que os pais o lessem. Podia não saber o que era amor, mas gostava daquela doce sensação que fazia seu coração bater mais forte. Ele deitou, fechou os olhos e ficou só pensando no sorriso inocente daquele rostinho lindo da menina ao lado.
Márcio Brasil
Enviado por Márcio Brasil em 15/09/2006
Código do texto: T240701

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Márcio Brasil
Santiago - Rio Grande do Sul - Brasil
181 textos (37061 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:54)
Márcio Brasil