Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BLOCO DE CONCRETO

“Não vejo a hora de te ver bem. Não vejo a hora de te ver, bem.”

Foi a mensagem que recebera. Seus olhos marejaram instantaneamente. Sentia o carinho, a atenção, o amor amigo... Também não via a hora de se ver bem, e de novamente se ver. Pois o que via era alguém que não conhecia, nunca foi nem queria ser.

Olhava ao redor, adiante e para trás e não conseguia perceber onde fora que se perdeu, a ponto de não conseguir prosseguir. É como se seus dois pés estivessem presos num bloco grande de concreto e este secado por completo. Impossível sair do lugar...

Cadê aquela máquina de quebrar asfalto? Será que mesmo com o ruído alto suportaria que alguém quebrasse esse concreto ao redor de seus pés e enfim caminhar de novo?

Não somente andar, desaprendera viver, ser.
ana K
Enviado por ana K em 26/09/2006
Reeditado em 27/09/2006
Código do texto: T250113

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ana Karina Dutra - www.kaka-anak.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ana K
São Paulo - São Paulo - Brasil
219 textos (15874 leituras)
3 e-livros (265 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:09)
ana K