Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TIA MILINHA

                                           
                     
       
                                       
- Minha irmã! Há quanto tempo você não aparece aqui em Governador Valadares!
- Aproveitei meu neto, que veio a serviço, e vim com ele.
- Não te vejo desde que seu marido morreu. E a sua saúde, como vai?
- Minha saúde é de ferro e o meu coração é de menina. E você, Judith, como está?
- Não posso dizer o mesmo, Milinha. Tenho artrite, bursite, catarata, dor de cabeça, enxaqueca...
- Por favor, não vá até o fim do alfabeto. Pelo andar da carruagem, você só vai pular a letra m, de menstruação.
Ah... Tive uma idéia. Já que estou aqui em sua casa, vamos visitar o nosso mano Dionísio, em Colatina?
-Vamos. Nós já estamos, mesmo, “pra lá de Bagdá”, não é mesmo?
-É deveras. Somos pedrinhas de dominó em fileirinha. E quando começarmos a cair, será em série.
No outro dia, as irmãs pegaram o trem de ferro e partiram para o Espírito Santo.
Assim que se sentaram.
-Vovó, a senhora está na minha poltrona.
-Bom dia, jovem!
-Eu disse que este lugar é meu.
- Obrigadinha! Você é um anjo!
-Não entendeu? Eu estava sentado aqui e, enquanto fui ao banheiro, a senhora tomou o meu lugar.
- Muito agradecida! Você é um menino de ouro!
- Por favor, quer dar licença?
-Você é tão bonzinho! Sabia que você vai para o céu?
Cansado de pelejar com a idosa, o rapaz foi para o outro vagão.
Ao chegarem em Colatina exaustas, ansiosas para descerem do trem, foram logo para a porta da saída.
Lá, encontraram o dono da poltrona que, preocupado com a idade avançada delas, gritou no ouvido de Milinha:
- Vá de-va-gar, vo-vóóóóóó!
- Fale baixo, diacho! Está pensando que sou surda?



                             
                                 



Anna Célia
Enviado por Anna Célia em 03/10/2006
Reeditado em 03/10/2006
Código do texto: T255083

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Anna Célia Dias Curtinhas _ http://annacelia.multiply.com/). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anna Célia
Vitória - Espírito Santo - Brasil, 70 anos
1158 textos (55245 leituras)
1 e-livros (216 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:29)
Anna Célia