Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


O JULGAMENTO DO POBRE





Num país algures, mas que existe, um homem foi levado
à presença do Juiz de “Pequenas Causas”, pois havia feito
uma reforma na sua casa e não havia avisado os órgãos
competentes.

Juiz – Muito bem Sr.Castilho, o Sr. sabe do que está sendo
acusado?

Castilho – Senhor dôtor, disseram que é porque fiz um pu-
xadinho no meu barraco.

Juiz – Barraco qual o quê? O Sr. fez um aumento na sua casa,
em alvenaria , sem o conhecimento da prefeitura e da ordem dos
Engenheiros.

Castilho – Sr. Dôtor me a descurpe , mais uma coisita tão pequena
percisava de tudo isso?

Juiz – Chame-me de Meritíssimo Juiz.

Castilho – Sim, Sr. Dôtor.

Juiz – Tenho em mãos o laudo técnico dos Engenheiros que vistoriaram
sua casa , e constataram um aumento de 8,5 m², que tem o senhor a dizer
sobre isso?

Castilho – Seu Juiz eu só fiz um banheiro pro povo lá de casa, nóis usava
a latrina, mas as moscas e o fedor eram ruim e a vizinhança inté reclamava.

Juiz – Então o Sr. admite que reformou sua casa? O Sr. não sabe que há
leis na cidade para serem cumpridas?

Castilho – Qual cidade seu Juiz, até eu chegar no meu trabáio, eu levo pra
mais de hora e meia, e minha muié, saí cedinho, inté é escuro , para chegar na casa da patroa dela pelas nove da manhã .Lá num é cidade não, fica muito longe mermo, nóis nem tem luz que acende, isso lá é cidade óh gente!

Juiz – Isso não é desculpa Sr. Castilho, o Sr tinha obrigação de retirar as licenças competentes , pagar as taxas para aumentar sua casa.

Castilho – Seu Dôtor, o Sr. não entendeu, num posso pagar nada, se não minha familha não come, e eu só pensei em melhorar a vida dos meus, para não usarem mais aquele chiqueiro.Minha filha mais véia, - que eu tenho 5 filhos- a que tem 12 anos ficou tão feliz com o banheirinho que inté botô um espelho lá, prá mode de pentear os cabelos.

Juiz – Isso não me interessa, ou o Sr. contrata um engenheiro, e pede autorização da prefeitura, ou o aumento feito na sua casa será demolido.

Castilho – Isso é que não homê de Deus, eu guardei um dinheirinho quatro anos, prá dar esse presente ao meu pessoar.

Juiz – Ou legaliza ou demolimos! Tenho dito!


Após esse diálogo , o Juiz encerrou a sessão , e deu a Castilho 15 dias para regularizar a situação.
Como a pobreza de Castilho era extrema, o pobre homem não pode atender as exigências do Juiz, e não acreditava que um dia viriam derrubar seu bem precioso.

Numa segunda- feira , adentraram no terreno de Castilho, uns senhores com Ordem Judicial e uma retro-escavadeira, num instante demoliram 
o ditoso banheiro!


Pergunto eu? Foi feito Justiça?



“Qualquer semelhança com casos reais é mera coincidência”






Malubarni
Enviado por Malubarni em 26/10/2006
Reeditado em 27/10/2006
Código do texto: T274477

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Malubarni
Vila Nova De Gaia - Porto - Portugal
595 textos (118378 leituras)
2 áudios (277 audições)
3 e-livros (397 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:06)
Malubarni