Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amores imperfeitos

zilmara estava meia perdida, não sabia o que  queria, andre um rapaz muito, compreensivo era a causa, haviam se conhecido num baile, tinha sido maravilho. Os dois passaram a festa inteira juntos, se falavam por telefone quase todos os dias, combinaram pra se ver de novo.
Se encontraram, conversaram bastante, se conheceram melhor.
Sairam juntos mais uma vez tiha combinado ir para uma balada, o dia chegou e tudo corria bem.
Mas havia algo, há espera dos dois, há se um dos dois soube-se, acho que teriam desistido da balada.
A festa rolava, e zilmara estava doida, esta bem distante de andre naquela noite, seu coração não era dele, e ela não podia fazer nada. Todos nós sabemos o coração é teimoso.
Zilmara ainda era apaixonada por rafael, o tal estava na festa, e pra complicar, ele mexeu com ela umas duas vezes. Ela não conseguia mais conter aquilo.
Ela estava dançando, toda empolgada, ate que cansou, foi tomar algo, sentou-se, havia um rapaz em seu lado, decidiu puxar um papo com o rapaz, conversaram, andre ficou com ciumes, mas não falou nada, mas sua cara não era das melhores.
A banda preferida dos dois entrou no palco pra cantar, eles foram pra pista ele sozinho e ela tambem, dançaram separadamente, zilmara nem se importou.
O show acabou elees voltaram para onde estavam zilmara foi continuar a fala com o rapaz que conheceu, quando um amigo dele apareceu, o papo começou a ficar mais quente. Quando derepente esse amigo pediu pra ficar com ela, ela disse que não pdia que estva meia enrolada e tal, ma logo, ms ele ensistiu, ela entao piscou pra ele e disse –vou ao banheiro.
Ela seguiu pro banheiro, e depois saiu, ele tava a esperando do lado de fora, ele a abraçou, e foram pra pista, dançaram e se beijaram.
Algum tempo depois a irmã de zilmara a cutucou, ela olhou, sua irmã lhe disse para irem embora. Ela entao se despidiu do rapaz que em lembrava o nome. E saiu, pòs há mão na cabeça e pensou –a o que fiz, ai não acredito. Mas já era tarde a besteira já tinha sido feita.
Foi ate há outra pista onde ficava o bar, estava procurando andre ainda bem que não achou.
Derepente sua irmã que estava bem atrás dela a chama ela olha pra trás –o rapaz ali te chamou, seu olhar se desvio para ver quem era e pronto, era o rafael caminhou ate ele com um sorriso.
-Eai vai onde?. --vou embora minha irmã quer ir.--fica ainda é cedo. ---é? --é. Ele tinha a abraçado, e ela havia retrebuido. ---vai ficar? Zilmara ohou pra sua irmã ´---vamos ficar? -- há não já ta tarde.
---eu quero ficar vá você então. Ela ficou, sua irmã foi embora, e ela ficou com rafael, eles se beijaram já estava previsto aquilo. Depois ela foi embora. Sozinha.

Quantas vezes não fizemos besteira em nossa vida, quantas vezes erramos, quantas vezes jogamos fora amores verdadeiros, por causa de uma ilusão, quantas.

Essa é uma história real, porém nomes não.
Poets Of Night
Enviado por Poets Of Night em 29/10/2006
Código do texto: T276475
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Poets Of Night
São Paulo - São Paulo - Brasil, 27 anos
82 textos (10575 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:30)
Poets Of Night