Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Captura

Eu apenas cumpri ordens.
Desta vez eu ia caçar um demônio,perigoso,de doze milênios.
--A idade é mesmo de assustar,ja caçou um destes?--Comentou Celina,minha parceira de caça e algumas vezes...Amante.
--Não,espero que não ele me traga a aposentadoria,ou morrerei na equipe...--Eu sorri tranquilizando-a.--Eu vou voltar inteiro,talvez com alguns arranhões mas inteiro,prometo agora me deixe ir...
O dêmonio tinha cometido um erro,tinha ido a uma boate conhecida e fora localizado,agora ele ia voltar para o inferno nem que minha alma fosse junto.
Dirigi com calma afinal conhecendo bem os demônios sabia que aquele só sairia no final da festa ao até destruir o local.
A boate estava cheia,mas senti o cheiro do maldito de longe,no meio da pista dançavam animados um moreno muito alto e musculoso que previ ser meu alvo e duas mulheres nas quais nem reparei...
Começei a dançar,me aproximando devagar.O cheiro forte dele quase me sufocava.
Tudo foi muito rápido depois.Uma explosão e as luzes apagaram,a música também,gritos tomaram seu lugar.
Corri para a rua mas quando vi ele ja tinha montado em uma moto vermelha e partido como um louco pelas ruas movimentadas.
Entrei no carro,não podia perdê-lo,aquele demônio era minha conquista,minha!
Eu quase bati três vezes no mesmo carro por tentar alcançar o demônio desgraçado mas esse parecia deslizar entre o transito.
Seu corpo parecia menor agora,com certeza tinha mudado de forma para ter mais agilidade,como eu odiava demônios!
Por fim ele dobrou uma rua sem movimento e cometeu o segundo erro,manobrar por uma rua estreita demais.
Abandonando a moto ele correu ainda de capacete,pulando e destruindo muros.Achei aquilo uma mostra de fraqueza,seria ele tão forte assim?Cometi um erro e ele soube aproveitar.
Suas garras atingiram meu peito em cheio,isso teria fatiado um humano mas essa é a vantagem de ser vampiro...Então outra surpresa,ele mordeu meu pescoço com força e pela primeira vez eu me senti como uma de minhas vitimas.
As luzes piscavam a minha frente,uma sensação de vazio tomava conta de mim depressa e acima de tudo frio,muito frio...Decidi que tinha que acabar com aquilo,puxando-o pela viseira levantada,joguei-o longe...
O chão tremeu com o impacto que o corpo não sofreu,ficou suspenso no ar,eu percebi que aquela era a noite das surpresas...


Hell
Enviado por Hell em 17/09/2005
Código do texto: T51397

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Hell
Maringá - Paraná - Brasil, 26 anos
149 textos (36156 leituras)
1 áudios (287 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:47)
Hell