Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Cortejo

     Mãos taciturnas agarraram tristemente a alça do caixão. O dia fez-se também triste, sombrio, obstinado e amargo como jamais se fizera. A vida sentia nos ombros o peso da morte, fortemente entrincheirada no íntimo do coração. Não se sabe o por quê; mas o sol repentinamente escureceu, deixando no ar somente o barulho do pranto familiar. O defunto apenas fazia-se silencioso, como era seu costume habitual, sendo levado nos ombros dos velhos amigos.
     Saiu o cortejo pelas ruas da cidade; as mulheres cantavam ave-marias, enquanto os homens contavam piadas ao longo do caminho. O morto recolhia-se à sua insignificância; apenas dormia, como era costume habitual fazer ao som das ave-marias.
mauricio novais
Enviado por mauricio novais em 06/10/2007
Código do texto: T683346
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
mauricio novais
Itanhém - Bahia - Brasil, 30 anos
46 textos (2422 leituras)
1 áudios (290 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 11:10)
mauricio novais