Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

E ASSIM, NASCE UM BEST- SELLER

Uma cafeteria universitária. O intelectual novato Artur está sentado perto do balcão pensando alto  quando chega Araújo, o intelectual veterano, e senta-se ao seu lado. Com o  propósito de ser escutado pelo veterano, Artur resolve pensando alto.
- Como transformar em romance algo que ainda nem foi esboçado sequer informalmente...
- Como? – pergunta o veterano.
-É que estou com uma idéia, mas ainda nem a escrevi e já quero transformá-la  em um grande romance, talvez até vire um best- seller. Sim, um best- seller...
- Ahn...mas sua idéia é de uma história em prosa, aristotelicamente organizada como um romance , ou o quê?
-Aí é que está! Não  é. Tenho essa mania de pôr o carro na frente dos bois, pensando no destino das minhas criações antes  mesmo de elas terem sido criadas . Vê: acabei de ter uma idéia , que não é de um romance e sim  de uma literatura alternativa, digamos , e já penso na  sua possível adaptação para um estilo convencional e em seu breve sucesso de público e vendas o que o tornaria um best- seller!
-Ah, amigo, caso explícito de desorganização de pensamento.Isso faz com que você queira acelerar o rumo certo das coisas...
-Isso!
-... e na maioria das vezes , você acaba nem começando a fazê-las.
-É isso. Exatamente o que acontece!Acho que me envaideço tanto  com a provável ascensão da minha idéia que fico no sonho- confessa Artur.
-E acaba esquecendo a idéia.
- Por vezes...mas agora que  estou de aviso prévio e detectei meu erro , não vou deixar que isso ocorra  mais.
-É o melhor que se faz, acredite.
- Vou esquecer um pouco que posso vir a escrever um best-seller a partir da literatura alternativa que será criada a partir  da minha idéia que por sua vez , será registrada agora.
- Ótimo! E , qual é esse estilo “alternativo”?
-Não sei bem ainda...estava pensando em algo do tipo pop art, quadrinhos, talvez uma coisa do tipo fanzine, não sei bem...mas no padrão romance ainda não se encaixa.
-Dramaturgia, talvez.
- Já pensei, mas não, minha idéia vai além, é algo novo.
- Então, um trabalho científico, monografia, quem sabe?!
- Também não. É metafórico demais pra isso...é algo...pô, nem sei bem.
-Coisa de artista...
-Sim, mas, alto lá, não  posso me envaidecer agora.
-Cadê? Não vai registrar sua idéia , não?!
- Hum, mesmo...tenho de , pelo menos, esboça-la, tomar nota...o que escrevo?
-Uma frase que sintetize  o objetivo da sua idéia , ora – sugere Araújo.
-O objetivo é, no fundo, no fundo, o best-seller!
-Esqueça o best-seller. Faça o seguinte, diga-me sua idéia.
-É que sou meio protecionista, sabe?
-Gente jovem...bem , então faça assim. Exemplo: minha idéia é a relação da economia com o estado de humor das pessoas ao verem a cor vermelha.Aí você toma nota disso.
- Então- escrevendo- pronto, já o fiz. Opa, já está na minha hora, tenho de voltar pra dar aula. Obrigado, Araújo. Até mais.
-Sorte, rapaz!
Artur, de saída, olha para sua caderneta onde está anotada a idéia. Em seguida, olha para o intelectual veterano que finda seu café. Volta à caderneta.
- Que idéia infantil, meu Deus!
Olha novamente para Araújo que o vê e acena com a cabeça.Por breves instantes , mentaliza em silêncio. Vira-se e fala consigo mesmo.

- Hum...economia no humor das pessoas enquanto olham pro vermelho , hein?! A quem vou dedicar meu segundo best-seller – e pensando alto, conclui- talvez ao Araújo...

Juliana Santiago
Enviado por Juliana Santiago em 09/10/2007
Código do texto: T687524

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Santiago
Fortaleza - Ceará - Brasil
119 textos (20718 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 17:52)
Juliana Santiago