Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
6 Microcontos (menos de 50 palavras)


Noturno

 

            O relógio. Tic-tac. Madrugada avançada. Sentado na poltrona. A luz, difusa, entrevia-se pela janela semi-aberta. Porta abre. Silhueta feminina. Perfume misturado a álcool.

            – Ainda acordado?

            Displicente, deita-se vestida.

            Uma arma é desarmada. Sem coragem. Levanta-se e fecha a porta. Deita-se, calado e submisso, ao lado do corpo da mulher...

 

Ardente

 

            Fumaça, gritos, correria. Casebres queimam. Os estreitos corredores do labirinto são incerta rota de fuga. Objetos são carregados às costas. Formigueiro. À distância segura podem observar melhor.

– Meu bebê! Meu bebê? – Uma trabalhadora tardia reclama a posse.

Dos escombros, no dia seguinte, muito carvão, nenhuma esperança...

 

Vitória

 

            A raquete escapa-lhe e surra-lhe o próprio rosto. Uma exclamação vem da multidão. Depois, espalham-se risos. A imagem é repetida pelos telões. Sentado, vendo a própria figura, vai à forra. Set. Set. Set.

            Aplaudido em glória.

            Na Tv exibem a vitória em 10 segundos. A raquetada ganha 20.

 

Exigente

 

            Queria aquele olhar. Beiços vermelhos em carne abundante. Cabelo curto, volumoso, cacheado. Um olhar constrito. Olhos verdes. O nariz é volumoso. Atrapalha o conjunto. Olha de novo. Tenta apreciar os lábios. O nariz rouba a cena. Parece descomunal. Cirurgia? Lança fora a foto. Telefona. Fim de romance.

 

 

Solução

 

            Não consegue dormir. O ronco atrapalha-a pela enésima vez. Senta-se à cabeceira. Acende o abajur e um cigarro. Sossegado, nem repara e sonha profundamente. Um travesseiro. Uma idéia – sufocar. Lembra que há filhos, sogra, polícia. Tem outra saída. Duas semanas depois ele se espanta diante da notificação oficial: divórcio.

 

Opção

 

            A enorme barriga ao lado espera um filho seu.

            Sala. Consultório. Grávidas e crianças de colo. Uma vomita no pai em frente.

            Pensa nas contas. Noites não dormidas. No filho rebelde com notas baixas, saídas noturnas, envolvendo-se com drogas. Levanta-se.

            – Aonde vai?

            – Comprar cigarro.

            Jamais voltou.

 

Jurandir Araguaia
Enviado por Jurandir Araguaia em 13/11/2007
Código do texto: T735366
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Jurandir Araguaia é escritor goiano e publica regularmente no sítio:http://www.jurandiraraguaia.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jurandir Araguaia
Goiânia - Goiás - Brasil
913 textos (83953 leituras)
6 áudios (93 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 22:27)
Jurandir Araguaia