Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

No meio da noite

Estava tudo escuro, muito quente, talvez tenha sido isso que me despertara.
E a madrugada era longa, o calor fazia de meu corpo seu maior refem.
Todos dormiam, menos eu, que acordara, sem nada pra fazer, ainda era muito tarde, ou talvez muito cedo.
Não queria acordar aos demais, afinal, quem tinha culpa de minha insonia.
Insonia pelo calor, o vento não estava ali, devia estar a quilometros de distancia.
Apenas o suor, que escorria, se fazia presente.
Outro banho, já estava me desgastando de tantos banhos, de tanta água pra me refrescar.
A sensação de frescor, durava pouco, muito pouco, dava mesmo vontade de dormir dentro d’água, mas não sou peixe, não fui criado assim.
Mas bem que gostaria, só esta noite, estava demasiadamente quente. E nem era verão ainda.
Enquanto a água escorria pelo meu corpo de olhos fechados, sentindo cada gota, cada jato que me era atirado.
E assim permanecia.
E já se sentindo mais confortável, após uma enxugada surficial, afinal, o calor não demoraria a tomar conta de novo.
Adormeci novamente, o calor estava longe, tão longe quanto meu sono embalado já estava.
Via me dentro de um trem, parecia metrô, mas ao mesmo tempo em algum lugar na Índia, pelas vestimentas utilizadas.
Estranho me sentia, nada entendia, o sonho me reportara para bem longe de onde eu estava, mas parecia real, nada entendia do que falavam, de repente escutei um barulho o trem estava apitando, estava chegando na próxima estação, mas o som ia bem dentro de meu ouvido.
Meio acordado, meio dormindo, epa, que trem que nada, é o despertador, ufa, que susto, mas parecia tão real, mas real é o dia que já está se fazendo presente.
Estranho, mas ainda escuro, deixa eu olhar, nossa tudo nublado, de repente escuto os primeiros pingos na janela do quarto.
Hummmm! que bom vai chover, acho que minhas orações foram ouvidas, nossa dá até vontade de voltar pra cama e me aninhar de novo ao travesseiro macio.
Mas tenho que ir, e chove lindamente lá fora.
Dá pra sentir a mudança do clima, como é boa essa sensação, cheiro de terra molhada no ar.
Que bom dia, esse dia, adorei ser acordado pelo apito do trem.
Trazia me a nova parada.Chamava-me para ver a presença da chuva, que bom ouvir tudo isso, que bom ser acordado assim.
Que dia, que noite, que chuva, estava calor ... e agora deu vontade de dormir ...
Roberto F Storti
Enviado por Roberto F Storti em 17/11/2007
Código do texto: T741088
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Roberto F Storti
Araçatuba - São Paulo - Brasil, 60 anos
613 textos (33310 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 06:50)
Roberto F Storti